Fitness

Jejum intermitente: saiba como funciona a dieta budista

Novo livro, que une ciência e os ensinamentos budistas, propõe colocar a dieta em prática para reduzir medidas

Redação iBahia (variedades@portalibahia.com.br )

Que tal unir dieta aos ensinamentos do budismo para conseguir emagrecer e manter a forma? Isso foi o que fez o e escritor e cientista Dan Zigmond. Seu novo livro, 'Buddha’s Diet: The Ancient Art of Losing Weight Without Losing Your Mind' (Dieta de Buda: A Antiga Arte de Perder Peso sem Enlouquecer, em tradução livre), procura ensinar as pessoas a mudar a maneira de lidar com as refeições. 

No livro, o escritor ensina um segredo para se alimentar como Siddhartha Gautama, mestre religioso e fundador do budismo no século VI a.C.. Uma das técnicas é o jejum intermitente, onde o importante na dieta budista é prestar atenção aos intervalos de tempo que se passa comendo . 

A ideia é começar limitando a janela de consumo de alimentos a 13 horas por dia – ou seja, se você tomar café da manhã às 8h, o jantar deve ser servido até, no máximo, às 21h. A cada semana, você deve reduzir esse intervalo em 1 hora até chegar a uma janela de 9 horas. Nesse caso, se a primeira refeição do dia for feita às 9h, a última deve ser saboreada às 18h.

Apesar de o método ir contra a máxima de que comer de três em três horas é o ideal, Zigmond garante que o jejum prolongado é seguro além de efetivo para quem quer queimar calorias. De acordo com ele, nosso metabolismo precisa de um tempo longe da comida para funcionar a todo vapor.

Não se deve esquecer, porém, que o acompanhamento de um profissional para iniciar qualquer dieta ou regime alimentar é indispensável. E aí, você tentaria a dieta budista?