Fitness

Veja os benefícios de praticar corrida e opções de atividades físicas complementares

Musculação, CrossFit e treino funcional são algumas opções para melhorar o desempenho dos corredores

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Quer ter uma vida mais saudável? Você precisa inserir atividades físicas na sua rotina. Uma opção é começar a fazer corrida. "A atividade agrada públicos que buscam diferentes resultados: perder peso e ganhar massa muscular, melhorar o condicionamento físico, diminuir o estresse do dia a dia, controlar a pressão arterial e o diabetes, melhorar a postura e reduzir o colesterol, além de fazer novos amigos ou até mesmo fechar negócios", explicou Eduardo Netto, diretor técnico da Bodytech Company.

O ideal é associar a corrida a outras atividades, pois a combinação de modalidades ajuda os praticantes a ganhar força, velocidade, capacidade cardiopulmonar e resistência muscular.

Foto: divulgação / Bodytech Company

Eduardo Netto listou algumas modalidades que podem ser praticadas junto com a corrida e os seus benefícios. Confira:

1) Musculação:
 deve estar sempre presente na planilha de treino. Melhora a força, velocidade, fortalece a musculatura e as articulações, além de ser uma atividade importante para prevenir lesões. O treino de corrida e musculação pode ser realizado no mesmo dia ou em dias alternados. Corredores com pernas, abdômen e costas fortalecidos garantem ter melhor rendimento durante as provas.

2) Pilates: tem a função de melhorar o controle respiratório, flexibilidade, equilíbrio, concentração, postura, consciência corporal e ajuda a amenizar o estresse;

3) Natação: proporciona movimentação sincronizada, concentração, respiração controlada, ajuda a aumentar a capacidade pulmonar, melhora o condicionamento físico, fortalece a musculatura e as articulações. É uma ótima opção para relaxar e diminuir a tensão ocasionada na musculatura. É uma atividade compensadora para os membros superiores e tem ação regenerativa;

4) Treino funcional: aumenta a capacidade cardiopulmonar – o resultado é mais energia e disposição.  Melhora a força e a resistência: o treino pode ser adaptado conforme o objetivo do atleta, mesclando exercícios anaeróbicos e aeróbicos;

5) CrossFit: é uma atividade de alta intensidade e deve ser realizada em dias alternados ao treino de corrida. Benefícios: aumenta a velocidade, força, resistência muscular e o condicionamento físico. O atleta fica mais resistente à fadiga muscular e consegue manter a intensidade por mais tempo;

6) Ciclismo: simulação de percursos com variação de intensidade ajuda a trabalhar os membros inferiores deixando mais fortes e resistentes a fadiga muscular;

7) Yoga: a modalidade ensina a controlar a respiração, ajuda a não desperdiçar energia durante a execução da postura, ajuda a controlar a ansiedade;

8) Alongamento: aumenta a flexibilidade, melhora a passada, o ritmo, a postura, a consciência corporal e ainda auxilia na regeneração muscular;

9) Deep Running: é uma excelente maneira de relaxar e regenerar a musculatura, importante aliado para aliviar o estresse pré e pós-prova. Benefícios: melhora o condicionamento físico, a força e a resistência muscular. E é uma boa oportunidade para corrigir os detalhes de passada;

10) Lutas: é um momento para extravasar e colocar para fora todas as dificuldades do treino e a ansiedade. Aulas de lutas são ótimas para trabalhar a agilidade, a resistência e o aumento da temperatura corporal, que melhora a viscosidade dos tecidos.

“Musculação e treino funcional devem estar sempre presentes no treino. As outras modalidades podem ser realizadas no período de base de transição de provas médias e longa distância”, aconselhou Netto.

Dica do profissional

Vale lembrar que quem inicia qualquer tipo de esporte precisa realizar uma avaliação médica e conferir como anda o funcionamento do corpo, além de garantir que os exercícios serão executados num ritmo seguro e saudável.

“O exame ergoespirométrico avalia a capacidade cardiopulmonar e ajuda a determinar a faixa de batimentos cardíacos em que o exercício será mais saudável. Com o resultado em mãos, o candidato a corredor precisa da orientação de um profissional de educação física para montar o treino adequado às necessidades e objetivos”, afirmou o educador físico Iago Zumbano.




Dica para otimizar a corrida

“Musculação e treino funcional devem estar sempre presentes no treino. As outras modalidades podem ser realizadas no período de base de transição de provas médias e longa distância”, lembra Netto.

Além disso, o educador físico alertou que é importante conhecer, antecipadamente, o percurso em que será feita a corrida.

“Preste atenção às curvas, buracos, movimento de pedestres e carros. Antes de qualquer aula ou competição é importante realizar um aquecimento muscular dentre eles: trotes leves, caminhadas e alongamentos dinâmicos. Após a atividade física o ideal é um alongamento de baixa intensidade para reduzir as tensões musculares e relaxar o corpo”, concluiu.