FLICA

Ao ar livre, crianças aproveitam o primeiro dia da Flica

Um grupo de 17 alunos de Feira de Santana viajou pouco mais de 55km para conhecer a festa

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)
- Atualizada em

O mormaço do final da manhã desta quinta-feira(5) não tirou a empolgação das centenas de crianças que brincavam pelas ruas de Cachoeira, no Recôncavo Baiano,para a Festa Internacional de Cachoeira (Flica). Pouco depois das 11h,  já era possível ver a Fliquinha, espaço dedicado aos pequenos, lotado.

Foto: Naiá Braga
Um grupo de 17 alunos de Feira de Santana viajou pouco mais de 55km para conhecer a festa.  Para a professora da Escola Cinco Amiguinhos, a Flica é uma oportunidade ímpar. "A gente trouxe alunos do sexto e sétimo ano para conhecer e a estamos gostando muito. É uma oportunidade singular para as essas crianças. Ainda mais como um lugar desses", disse apontando para o Espaço Livres Livros.

Empolgado, o pequeno estudante Wendel Santos, de 11 anos, falou sobre sua experiência na Flica. "Eu tô gostando demais e espero conhecer tudo. Meu pai disse que a gente tem que estudar e vir para aqui é um incentivo para a Literatura", contou animado.
Foto: Naiá Braga
Em sua sétima edição, a Flica teve em sua abertura oficial, pouco depois das 14h30 desta quinta-feira (5), a participação do governador Rui Costa, que veio acompanhado das filhas e da esposa. "Estou muito feliz e quero saudar a família de Cachoeira. E saudar  a Literatura", cumprimentou a plateia ansiosa para a primeira mesa do dia.
 
A festa reúne mais de 20 autores, três deles internacionais, sendo um o autor, escritor e doutor cubano Carlos Moore, na mesa " Os Reflexos do Passado Ancestral em Nossa Pele".