FLICA

Casal acompanha a Flica desde a primeira edição: 'Continuaremos até quando puder'

Maria José e Carlos Almeida visitam a festa literária desde 2011 e não perderam nenhuma edição

Lucas Mascarenhas* (lucas.mascarenhas@redebahia.com.br)
- Atualizada em

A paixão pela literatura e o encanto com a cidade de Cachoeira foram peças chave para levar o casal Maria José, de 70 anos, e Carlos Almeida, de 75, para todas as edições da Flica desde 2011. 

Mas o que será que sempre os atrai de volta ao evento? Para Maria José a resposta está na ponta da língua: "Eu acho a Flica de fundamental importância tanto pra cidade de Cachoeira quanto para nós baianos, porque a gente fica atualizado com toda a literatura do Brasil e do mundo, além de valorizar a arte da escrita".


Em sua nona edição, a Festa Literária Internacional de Cachoeira, trouxe novidades como a Geração Flica e movimentou o centro da cidade com programações culturais e totalmente gratuitas. Carlos Almeida então, se recorda lá da primeira edição, em formato ainda inédito na Bahia e com um cenário totalmente diferente do atual.

"Conseguiram criar um evento que interessa a todos nós, leitores e autores. Além de existir a felicidade de escolha dos mediadores e autores desde a primeira edição da Flica, então desde a primeira vez a gente percebeu que mesmo com toda dificuldade de se fazer a feira pela primeira vez na Bahia, foi tudo muito bom", pontua.
Foto: Lucas Mascarenhas / iBahia
As belezas de Cachoeira e seu povo além daquela comida típica da região, são fatores que garantem o retorno de muita gente como Maria e Carlos, que confirmam o desejo de acompanhar as próximas edições.

"A cidade escolhida foi o ponto chave, porque essa cidade é muito acolhedora, bonita e faz parte da nossa história desde a independência. A gente vem desde a primeira edição em 2011 e continuaremos vindo até quando puder", concluem. 

* Sob supervisão e orientação do editor-chefe Rafael Sena.