Futebol S/A

Futebol brasileiro volta a decidir Libertadores com o maior orçamento da década

Clubes tiveram um crescimento de 250% nas contas entre 2010 e 2019

Flankel Lima
- Atualizada em

Com Santos e Palmeiras classificados nesta semana, o futebol brasileiro voltou a ter dois representantes na decisão da Libertadores após 14 anos. Quando Internacional e São Paulo disputaram o título de 2006, a segunda final brasileira consecutiva, houve a impressão de um domínio nacional na competição sul-americana. Não foi o caso. Mas após anos de evolução nas finanças das equipes nacionais, o cenário parece finalmente se concretizar.

As principais equipes do país passaram por uma revolução na última década. Segundo levantamento da Pluri Consultoria, os clubes tiveram um crescimento de 250% nas contas entre 2010 e 2019, um valor três vezes superior à inflação oficial (IPCA).

Mesmo nos últimos cinco anos, período em que o país entrou em recessão econômica e o futebol perdeu parte da atenção do mercado no período pós-Copa do Mundo, o crescimento no faturamento somado foi de 63%, mais do que o dobro da inflação.

Na prática, essa evolução resultou também em títulos da Libertadores. Após a final brasileira de 2006, apenas o Internacional venceu o torneio na década de 2000, com a conquista de 2010. Foram três taças da Conmebol que desembarcaram no país durante o período.

Por Máquina do Esporte