Gastronomia

Especial Nordestinos: conheça chef Lili Almeida que conquistou fãs com apenas 'Bom Dia'

A cada manhã é sempre um novo despertar e ela acredita que a "cultura é alimento que, bem servido, liberta"

Mayra Lopes (mayra.lopes@redebahia.com.br)
- Atualizada em


Comunicadora, chef de cozinha, empresária, mãe e também neta. No café da manhã, é o cuscuz ou a tapioquinha que aquece o coração dela. Estamos falando de Lili Almeida, mais conhecida como Chef Lili! A baiana, de 40 anos, traz consigo a potência de uma ancestralidade forte e genuína. Só começou a cozinhar em 2005, mas nos últimos anos têm conquistado muitos admiradores não só pelos pratos que prepara, mas pelos momentos de ‘bom dia’. 

A cada manhã é sempre um novo despertar e ela acredita que a "cultura é alimento que, bem servido, liberta". Sobre ter tido essa oportunidade e sucesso ao comunicar tantos ditados e acalmar os corações de quem está nas redes sociais, ela disse:  "As pessoas estão ávidas por uma palavra de carinho. As pessoas estão necessitadas, implorando por uma mão, por um abraço, por uma palavra, por atenção. De todos os ditados que eu fiz até hoje, o que mais chega nesse momento é esse: tudo pode ser dito com uma colher de mel na boca", pontuou. 

Na pandemia, Lili fechou as portas do restaurante ‘Casa de Dona Lili’ e isso fez a lógica do negócio que ela tinha, mudar. Ela partiu para encomendas, consultorias e palestras, chegando aos vídeos de incentivo onde ela mesma declama ditados tradicionais de sua família. 

Hoje, a chef reúne mais de 430 mil seguidores e o número não para de crescer, assim como as ideias e novos projetos com famosos e personalidades acadêmicas.

(Foto: Matheus Leite)



Ancestralidade e Família
E que paixão ela tem pela família. A representatividade que essas mulheres possuem na vida da comunicadora é enorme e isso transpassa em determinados momentos. 

"Quando eu comecei a fazer acarajé de verdade, eu comecei a descobrir minha história. Toda vez que eu ligo o tacho do acarajé, que eu coloco o fogo ali, eu tenho a sensação de que tem uma legião de mulheres pretas ali comigo, do lado. E quando eu vejo o tacho fervendo, pra mim, nos simboliza. Somos nós ali, fervendo e fazendo uma revolução", declarou a chef. 

Os ditados são de longe a herança mais carinhosa que ela têm. No dia a dia com Lili, é muito comum vê-la incluir eles em meio a uma conversa simples ou contando um caso inusitado. O preferido dela é “Pouco com deus é muito, muito sem deus é nada" assim como o dito por sua avó, relacionado a culinária: “Quem come guarda, come duas vezes”.

(Foto: Matheus Leite)

Vida e carreira de Lili 
Lili estudou comunicação e seguiu até o 6º semestre. Aos 23 anos, conseguiu um emprego em São Paulo e foi morar com umas amigas. Lá, ela não conseguia arcar com os custos de uma alimentação fora de casa e foi aí que começou o despertar para a gastronomia. A mãe da chef ensinava o passo a passo das receitas pelo telefone e ela seguia à risca. Esses eram os momentos que ela tinha para matar a saudade. Como ela mesmo disse: “Isso me ligava a minha família, porque eu sentia muita falta deles”, contou.  

Anos depois, já em Salvador, a abertura do restaurante da chef seguiu a mesma linha, sem muitas programações. Em 2017, a filósofa Djamila Ribeiro foi almoçar na casa dela. As redes de televisão gravaram matérias e à noite, seis pessoas buscaram Lili e os pratos televisionados. “Ele (o restaurante) nem existia ainda, mas começou naquele dia", afirmou Lili.


Culinária

O afeto é o principal ingrediente que Lili usa em suas preparações. Como boa baiana, a especialidade dela é frutos do mar e comidas típicas da região. A cozinha da casa da comunicadora segue sempre funcionando, apesar do restaurante ainda estar fechado. A expectativa é grande dos admiradores já que a chefe disse que muitos pratos estão sendo recriados por ela, exemplo disso é o bolinho de estudante. Mas, a assessoria de imprensa informou que ainda não há prazo para retomada ou reabertura da 'Casa de Dona Lili'. 

Vale ainda pontuar que Lili Almeida participou do reality culinário Mestres do Sabor. Ela integrou o time de Kátia Barbosa. Como prato de entrada, a chef apresentou o Arroz Caldoso de Rabada. Os elogios foram significativos e ela chegou a ser disputada por Avillez. A baiana foi eliminada do torneio na rodada de batalhas junto com Diego Gimenez.