Ozonioterapia: conheça os benefícios para seu pet 


Foto: Divulgação / Petz

Você já ouviu falar na ozonioterapia? Talvez você até conheça alguém que tenha passado por esse tratamento, mas o que provavelmente você não sabe é que os pets também podem usar a técnica em busca de uma melhor qualidade de vida.   

A ozonioterapia nada mais é que uma terapia onde é utilizado o gás ozônio, que no corpo tem diversos efeitos curativos como anti-inflamatório e analgésico, sendo indicado para diversos tipos de doença.  

Segundo a médica veterinária e ozionioterapeuta, Priscila Damasceno, a terapia, além de tratar problemas de saúde, também pode ser usada de forma preventiva e na manutenção no quadro de saúde do animal.  

“Não necessariamente é preciso o animal estar doente. Um animal saudável pode ser beneficiada nessa técnica, porque ela vai ajudar o corpo a ter equilíbrio, vai ajudar na manutenção da saúde ou tirar o corpo de um estado de enfermidade”, explicou. 

“É fisiológico porque é a medida que a gente vai crescendo, as células vão envelhecendo, a gente vai entrando no estado oxidativo. Uma vez que nosso corpo entra nesse estado, ele perde a capacidade de saber corrigir alguns erros da nossa reprodução células, então o ozônio vai fazer com o corpo entre em equilíbrio novamente”, completou. 

De acordo com a médica veterinária, a técnica pode ser utilizada no tratamento de quase todas as doenças. Podem fazer a ozonioterapia animais com problemas circulatórios, inflamações intestinais crônicas e dermatites.  Também há indicação para cicatrização de feridas, doenças renais e hepáticas. A terapia, no entanto, é contraindicada em alguns casos.  

“Não devemos usar o ozônio quando o animal teve uma anemia muito grave, porque como o ozônio vai melhorar a circulação sanguínea, pode ser que as hemácias fiquem um pouquinho mais frágeis e aí podem se romper com mais facilidade. Mas animais, por exemplo que têm um distúrbio cognitivo e esquece de como andar, como fazer curvas, como se movimentar, com a melhora na circulação do sangue, o sangue vai chegar no cérebro e vai melhorar, mesmo que de forma indireta, o distúrbio cognitivo do animal”, ressaltou. 

Segundo Priscila Damasceno existem algumas formas de aplicação do ozônio, entre elas subcutânea, intramuscular ou intra-articular, mas na maioria das vezes é através de insuflação retal. Geralmente os animais toleram muito bem a aplicação e vão se acostumando mais ao longo das sessões. O tempo do tratamento vai variar de acordo com a patologia. De acordo com a veterinária, a técnica pode ser usada de forma complementar ao tratamento de uma doença ou de forma isolada.  

“Animais com câncer, que estão fazendo quimioterapia, vamos utilizar o ozônio com a associação ao remédio que ele está tomando. Então pode ser usado em conjunto, pode ser usado de forma isolada ou a gente pode usar em conjunto com terapia atual e a medida que animal for recuperando vai reduzindo o uso do remédio”.

Como todo tratamento, é importante ressaltar que somente o médico veterinário está autorizado a aplicar a ozonioterapia nos pets.   

Leia mais sobre Bichos e Pets no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: