Juntos Pela Prevenção

Bahia reforça testagem e atendimento na rede pública de saúde no combate ao coronavírus

Lacen-BA tem, hoje, uma capacidade de testagem maior do que a média no Brasil

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
Diante do cenário de pandemia em que estamos vivendo, medidas de combate ao coronavírus precisam partir da população e dos governantes. O Governo da Bahia, por exemplo, segue reforçando o sistema de saúde para minimizar os impactos da covid-19. 

Já em fevereiro, Governo da Bahia, por exemplo, já havia anunciado investimentos na ampliação e modernização do Laboratório Central de Saúde Pública Professor Gonçalo Moniz – LACEN/BA, unidade da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), referência para diagnóstico laboratorial das doenças de notificação compulsória de interesse para a Saúde Pública. 

Hoje o Laboratório é essencial para o diagnóstico do coronavírus no Estado e tem uma capacidade de testagem maior do que a média no Brasil. Esses números foram alcançados graças a chegada de duas novas máquinas ao laboratório no início de abril, que dobrou a capacidade de testes da unidade. 

De acordo com a Sesab, atualmente são 500 exames processados por dia no Lacen. O laboratório funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana. 

Apesar das ações adotadas pelo Estado na prevenção da covid-19, é necessário ressaltar que a população precisa fazer sua parte, respeitando as recomendações, para evitar que haja um pico de contaminação e um colapso do sistema e saúde. 

Testes rápidos

Mais de 60 municípios baianos, onde o coronavírus já foi identificado, receberam testes rápidos para o diagnóstico da doença. Por determinação do Ministério da Saúde, os 31 mil testes rápidos adquiridos pelo Governo Federal serão voltados para os trabalhadores das áreas de Segurança Pública e Saúde, bem como para as pessoas que residam no mesmo domicílio dos profissionais e estejam com quadro gripal.

De acordo com o secretário de saúde do Estado, Fábio Villas-Boas, já houve a solicitação da ampliação desse público alvo, mas isto depende da capacidade operacional de produção, aquisição e distribuição do Ministério da Saúde.

A nova técnica indica que o resultado é verificado após 15 minutos da realização do teste. Além disso, o teste deve ser realizado respeitando duas condições: em profissionais de saúde e segurança pública, eles devem ter o mínimo de sete dias completos desde o início dos sintomas de Síndrome Gripal e mínimo de 72 horas assintomático; no caso das pessoas com diagnóstico de Síndrome Gripal que resida no mesmo domicílio de um profissional de saúde ou segurança em atividade, ela deve possuir o mínimo de sete dias completos desde o início dos sintomas do quadro gripal.