Moda e Beleza

Burberry anuncia que vai parar de queimar produtor não vendidos

Marca 'queimou' R$ 143,79 milhões em produtos em 2017 para não desvalorizar seu nome

Agência O Globo
- Atualizada em

A Burberry anunciou, nesta quinta-feira, que vai interromper a prática de queimar produtos não vendidos e que a decisão tem efeito imediato. Em julho, um relatório de lucros da grife de luxo britânica revelou que a Burberry destruiu roupas, acessórios e perfumes que não foram vendidos no valor de 28,6 milhões de libras, o equivalente a R$ 143,79 milhões, para proteger sua marca.

Na nota, a marca disse que já reutiliza, conserta, doa e recicla produtos não vendidos, mas que vai continuar a expandir esses esforços e trabalhar para criar novos materiais mais sustentáveis. Na época, a notícia da queima de produtos provocou uma resposta furiosa de ambientalistas e críticas sobre o desperdício no setor.

Foto: Reprodução

A Burberry também anunciou que vai deixar de usar pele animal de verdade em seus produtos e que os itens que já foram produzidos com o material serão eliminados. A PETA (Pessoas para o Tratamento Ético dos Animais, na sigla em inglês), ONG que luta pelo direitos dos animais, recebeu bem a notícia de que a marca vai parar de usar peles, considerando a atitude "um sinal dos tempos". O diretor-executivo da marca considerou que a atitude é parte de uma grande mudança.

"Luxo moderno significa ser social e ambientalmente responsável", disse Marco Gobbetti, que está no processo de reposicionar a marca para ser mais sofisticada. A indústria da moda está sob pressão de consumidores e organizações ambientais para se tornar mais sustentável e muitas marcas têm sido repreendidas nos últimos anos por destruir o estoque não vendido, inclusive cortando ou perfurando as roupas antes de jogá-las fora. Na nota com as novas diretrizes, a Burberry disse ainda que está trabalhando com a marca de luxo sustentável Elvis & Kresse para transformar 120 toneladas de sobras de couro em novos produtos nos próximos cinco anos.

Gobetti espera que o novo designer da Burberry, Riccardo Tisci, ex-Givenchy e responsável por figurinos de Beyoncé e Madonna, possa transformar a casa de moda tipicamente britânica.