Moda e Beleza

Cor, textura e preço: saiba como acertar na escolha da base

“Um dos erros mais comuns é uma pessoa que tem pele mista ou oleosa usar uma base hidratante", alerta a especialista

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Quer arrasar na maquiagem? Da make básica à alta produção, a base é um elemento fundamental para ter um acabamento perfeito, por isso, saber escolher o tipo ideal para sua pele faz toda diferença. O mercado de beleza oferece bases aquosas ou siliconadas e o primeiro passo na hora de escolher é saber diferenciar a textura de cada uma delas. 

“Um dos erros mais comuns é uma pessoa que tem pele mista ou oleosa utilizar uma base hidratante. Ao longo do dia, essa base muito líquida pode escorrer e/ou deixar a pele ainda mais brilhante e oleosa. Da mesma forma, se uma pessoa de pele seca utilizar uma base de alta cobertura mate, ela poderá rachar”, alerta a especialista em maquiagem e influenciadora digital Catlen Guerra. 

Segundo Catlen, para mulheres que possuem a pele mais oleosa ou mista, o ideal é optar por uma base matte. Já aquelas que tendem a ter uma pele mais seca, o ideal é escolher bases mais hidratantes.

Ainda de acordo com a especialista em maquiagem, além de saber escolher a base é importante também preparar a pele para que o produto dure o tempo ideal. “Limpar bem a pele ou lavá-la antes de iniciar a aplicação, usar um primer e depois a base e aplicação de um pó fixador são alguns cuidados que ajudam na durabilidade da base”, sugere.

Como acertar na cor da base?

“É preciso considerar o 'subtom' de base de cada pessoa. Para aquelas que possuem veia azul, provavelmente tem fundo de pele frio. Já para quem tem veias que aparentam mais a cor verde, seu fundo de pele é amarelo/quente e para quem consegue ver tanto a veia azul quanto a verde, possui um fundo de pele neutro. Assim, a pessoa pode comprar sua base pensando no seu tom, seja ele claro, médio ou escuro ou o subtom, como amarelo, rosa/vermelho ou neutro”, ensina a especialista. 

Como corrigir a cor da sua base?

É muito comum acontecer erros na hora da escolha do tom de base ou que as mulheres não achem um tom ideal por não encontrarem uma grande variedade de cores. Nesses casos, o uso de um corretor de tom pode ser uma solução acessível para as consumidoras. “Com o recurso do corretor de tom, ela resolve rapidamente pingando algumas gotinhas e poderá aproveitar a base que já possui sem que haja a necessidade de comprar uma nova”, acrescenta Catlen.

Pagar caro não é sinônimo de garantia de qualidade

Para a especialista em make, preço caro não quer dizer qualidade. “Não acredito que uma base por mais baratinha que seja, cause problemas ao consumidor, como vermelhidão e acne. Isso pode ser proveniente de qualquer base - da mais cara a mais barata, que fica no seu rosto por muitas horas não deixando sua pele respirar”, explica.

O que é comum, segundo Catlen, é que algumas podem manchar ou não uniformizam a pele, como deveriam. "No Brasil, temos excelentes bases com preços que cabem no bolso e com a mesma durabilidade e poder de cobertura”, finaliza a maquiadora.