Moda e Beleza

Costuma fazer esfoliação facial? Veja dicas e cuidados

Além da esfoliação semanal, é importante o skincare diário, que não requer muito tempo nem muitos produtos

Revista ABM

Com a orientação da dermatologista Lorena Marçal, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, regional Bahia (SBD/BA), e consultoria da esteticista e cosmetóloga Tamile Barbosa, e da fisioterapeuta dermatofuncional Naíra Regis, vamos entender melhor a importância da esfoliação facial, seus benefícios e cuidados.

Esfoliar o rosto merece estar na rotina skincare (cuidados diários) por ajudar a eliminar a sujeira acumulada nos poros e controlar o acúmulo de sebo ou suor, eliminando as células mortas, o que ajuda a dar mais vitalidade e brilho à pele. A sugestão das especialistas é que peles secas, a princípio, nem devem ser esfoliadas, mas se optar por fazer, deve ser a cada 15 dias; e peles mistas e oleosas, uma vez por semana, ou 2 vezes se a pele suportar.

Do ponto de vista médico

A dermatologista Lorena Marçal explica que, embora em peles envelhecidas ou oleosas, por exemplo, com tendência à acne grau 1, a esfoliação ajude a aumentar a renovação, afinar o estrato córneo, e aumentar a permeabilidade de ativos, é importante entender que, do ponto de vista médico, a esfoliação é uma ação superficial e, como tal, o resultado também é superficial, e não faz milagres, como muita gente talvez imagine. “A esfoliação, na verdade, tem poucas indicações, por isso, seja facial ou corporal, sempre deve estar atrelada a outros hábitos de cuidado, inclusive com a manutenção dos medicamentos prescritos em patologias como acne, manchas, envelhecimento, dentre outras. Ou seja, a esfoliação é só mais um dos cuidados necessários, de acordo com a patologia”.

Esfoliação traz vários benefícios | Foto: reprodução / Revista ABM

Ela esclarece que a esfoliação pode ser mecânica (bucha, esferas, manual) ou química (peelings químicos), embora tecnologias mais modernas como laser ou microagulhamento superficial também façam o efeito de esfoliação. “No caso de manchas, por exemplo, o mais indicado é uma esfoliação enzimática, que seja química e não física. A esfoliação manual, essa que se aplica em casa mesmo, com esfoliantes, pode auxiliar no tratamento de algumas doenças de pele, como queratose pilar e pano branco”. Mas ela alerta que é sempre indicado procurar um dermatologista para uma orientação adequada.

Os benefícios da esfoliação facial:

• Uniformiza a textura da pele

• Deixa a pele mais macia e luminosa

• Reduz linhas finas

• Estimula a renovação celular

• Previne a formação de cravos

• Diminui a oleosidade

• Tem efeito clareador

Qualquer esfoliação é contraindicada para:

• Pele com lesões cutâneas graves e doenças que podem ser agravadas ou dificultar a cicatrização do local

• Acne inflamatória em atividade

• Hipersensibilidade ao produto

• Perda de sensibilidade no local

• Feridas abertas

• Após depilação fácil com cera ou creme depilatório

• Crianças e bebês por terem a pele muito fina e sensível

No caso das gestantes, não é indicada a esfoliação química com ativos que venham prejudicar a gestação.

Limpeza diária

Além da esfoliação semanal, é importante o skincare diário, que não requer muito tempo nem muitos produtos. De acordo com a esteticista Tamile, para ajudar a manter a pele saudável e com vitalidade, basta o uso diário do sabonete específico para seu tipo de pele + um bom produto nutritivo para a necessidade da sua pele + um protetor solar indicado para seu tipo de pele. “Esse cuidado funciona e é fundamental”, reforça a esteticista.

No dia que for esfoliar: sabonete específico + esfoliante + tônico + hidratante

É importante o skincare diário | Foto: reprodução / Revista ABM

Preparo de esfoliação caseira

As especialistas alertam que é preciso ter muito cuidado com as esfoliações caseiras, uma vez que cada pele tem suas características. “Nem tudo que aparece na mídia é indicado para todos os tipos de pele, já que cada uma é um mundo diferente com suas características”, orienta a dermatofuncinal Naíra. Se for preparar uma esfoliação caseira, prefira sempre elementos o mais natural possível, que não causem agressividade à pele.

A receita indicada por ela: 3 colheres de aveia em flocos + 1 gota de óleo essencial de lavanda + 6 colheres de água. Faça uma pasta e esfolie cada região do rosto em círculos; deixe por 10 minutos e depois retire com água corrente.

Nem todo esfoliante serve para o corpo e o rosto

Todo esfoliante facial pode ser usado no corpo, mas nem todo esfoliante corporal pode ser usado no rosto, a não ser que o fabricante indique que pode. “A pele do corpo e do rosto tem características diferentes. Na pele negra, por exemplo, geralmente o corpo tende ser mais ressecado do que o rosto e precisa de ativos e hidratação a base óleos e manteigas”, explica Naíra.

Cuidados para a pele negra

Especialista em pele negra, Naíra alerta que a pele negra possui evaporação trans epidérmica maior do que a pele branca, e tem tendência a ser uma pele de característica mais oleosa e desidratada. “Tem que tomar cuidado com procedimentos que requer mais retirada de água, como as esfoliações à base de ácidos, pois quanto mais se retira água da pele, mais sebo é produzido. Por isso, cautela na hora de esfoliar. É sempre indicado procurar um profissional habilitado que tenha experiência. O êxito do tratamento depende muito do direcionamento correto”, explica.

Ela alerta também que outra característica distinta é com a camada epidérmica (a mais externa), que na pele negra é mais espessa e mais compacta, por isso os procedimentos devem ser avaliados previamente para que a esfoliação seja adequadamente indicada com resultados satisfatórios. Nessa camada também estão localizados os melanócitos, células que dão coloração a pele, que na pele negra são maiores e mais numerosas, por isso existe um risco maior de ocasionar efeitos não desejáveis se realizados de maneira incorreta, como, por exemplo, manchas hipercrômicas.

 Os tipos de esfoliação:

A esfoliação física é por atrito, e é a mais conhecida, com aplicação de esfoliantes com grânulos, que retira as células mortas a partir do atrito promovido por pequenas partículas presentes no esfoliante em contato com a pele. Pode ser aplicada em todos os tipos de pele. A esfoliação deve ser feita de forma gentil, já que empregar muita força pode acabar sensibilizando a pele. “O indicado é fazer os movimentos circulares e no sentido ascendente”, orienta Naíra.

A esfoliação química, à base de ácidos, não possui esfera ou grânulos, promove descamação, trazendo renovação. Remove células mortas por meio da descamação devido aos ácidos e a concentração em sua substância química. “É uma esfoliação que demanda cuidados, e é indicada para peles com poros dilatados e espessos”, informa Tamile. A frequência, dependendo da substância e concentração, pode ser realizada uma vez por semana, ou uma vez por mês.

Esfoliação Enzimática - é uma esfoliação suave, não exige atrito, pode ser aplicada em peles sensíveis, promove renovação celular melhorando a textura da pele reduzindo a sua espessura. Pode ser considerado o peeling de verão.

Esfoliação mecânica, que são os peelings, usando aparelhos de microdermoabrasão (peeling de diamante) e óxido de alumínio (peeling de cristal). Esta esfoliação deve ser feita apenas em consultórios, por profissionais especializados e devidamente autorizados. Por afinar a pele, e remover células mortas, deixa a pele receptiva para permeação de ativos cosméticos. Indicado para pele oleosa, com lesões de acne e manchas. A sua frequência pode ser a cada 15 dias ou uma vez no mês.