Moda e Beleza

Depilação íntima: confira dicas para realizar o procedimento em casa

Existem diversos métodos, como cera quente, lâmina e creme depilatório, mas tudo requer cuidado

Luana Neiva* (luana.neiva@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Tem dúvidas de como fazer uma depilação íntima? Diante de tantas técnicas, às vezes fica difícil escolher qual o melhor, principalmente quando se quer depilar em casa. Existem diversos métodos, como cera quente, lâmina e creme depilatório, mas tudo requer cuidado. Pensando nisso, o iBahia entrevistou a dermatologista Cristina Silveira e a esteticista Ana Carolina Santana para tirar todas as dúvidas sobre o assunto.

De acordo com a esteticista Carolina, o método mais indicado para fazer a depilação em casa, é com cera ro-llon (somente para as pernas) e a cera hidrossolúvel. Para aliviar o incômodo após o procedimento, ela aconselha pressionar a mão no local em que foi feito para diminuir um pouco a dor.

Já em relação sobre os tipos de agressões que a pele sofre com a depilação com cera (seja fria ou quente), a dermatologista Cristina conta que este método utiliza um produto que, quando aplicado na superfície da pele, adere fortemente aos fios e estes são posteriormente  arrancados de forma traumática. 

“Esse tipo de depilação causa uma perda localizada das camadas mais superficiais da pele podendo gerar manchas no local. Além disso, o trauma da depilação costuma causar um processo inflamatório no folículo ou pode também abrir uma porta de entrada para uma infecção bacteriana que chamamos de foliculite”, relatou a dermatologista.

Questionada sobre o que fazer quando a pele escurece por causa da depilação com cera, a dermatologista relata que podem ser utilizados cremes clareadores no local, mas que as manchas dificilmente somem sem tirarmos o fator que causou o problema.

"Em geral realizamos depilação a laser para que o paciente não precise depilar mais no local acabando com o trauma contínuo na região", explicou a médica.

Além da cera, existem pessoas que preferem usar a lâmina ou depilador elétrico, porém a esteticista não aconselha este tipo de método pois poderá causar foliculite (inflamação dos folículos). 

“Caso não haja outro método, deslizar a lâmina suavemente no sentido do crescimento dos pelos, já com a área higienizada e levemente umedecida com sabonete ou espuma de barbear. Com o depilador elétrico, deve-se realizar a depilação com a área previamente higienizada e seca, no sentido contrário ao crescimento dos pelos”, disse a esteticista.

Segundo a dermatologista, os processos de depilação de cera e lâmina, podem causar um quadro de pelos encravados.  Fatores individuais também colaboram para causar um quadro mais ou menos intenso no local da depilação.

A esteticista Carolina aconselha, para qualquer método de depilação, que a pessoa faça uma esfoliação três dias antes na área a ser depilada e que após o procedimento, utilize um gel calmante para evitar que os pelos encravem e posteriormente a foliculite.

Para finalizar, a dermatologista Cristina, relata sobre o que fazer caso tenha uma reação alérgica a algum tipo de depilação. “A alergia pode acontecer quando utilizamos seja a cera ou a lâmina de barbear durante a depilação. Caso o paciente apresente coceira, vermelhidão ou descamação no local deve procurar um dermatologista pois pode se tratar de um quadro alérgico”.

*Sob supervisão da repórter Isadora Sodré