Moda e Beleza

Dismorfia corporal: entenda o transtorno mental que afeta 'até' Megan Fox

Questão de saúde mental faz com que a pessoa sofra por defeitos que, na maioria dos casos, nem existem

Malu Vieira (malu.vieira@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Você provavelmente sabe quem é Megan Fox, a atriz que interpreta Mikaela Banes no filme 'Transformers' e a protagonista do terror 'Garota Infernal'. Além dos papéis de sucesso, você também deve ter associado a artista à sua beleza exuberante, que a fez ser eleita 'a mulher mais sexy do mundo' em 2008. Apesar de estar totalmente dentro dos padrões e de ser considerada um símbolo de beleza, Megan sofre com o Transtorno Dismórfico Corporal (TDC)

As dismorfia corporal é um transtorno psicológico que envolve a preocupação excessiva com o corpo. Pessoas que sofrem com o transtorno costumam se olhar muito no espelho e dar atenção exagerada a defeitos que, muitas vezes, não existem na realidade. E sim, 'até' mulheres como Megan Fox pode sofrer com o problema.

Em entrevista à GQ Magazine, a atriz afirmou que as aparências podem enganar. "Podemos olhar para alguém e pensar: 'Essa pessoa é tão bonita. Sua vida deve ser muito fácil'. Muito provavelmente, ela não se sente assim. Sim, eu tenho dismorfia corporal. Tenho muitas inseguranças profundas", revelou.

O problema não atinge apenas a atriz. Na era das redes sociais, estima-se que só no Barsil cerca de 4,1 milhões de pessoas, o equivalente a 2% da população, sofram com TDC. Assim como muitos transtornos, a dismorfia corporal costuma surgir na adolescência e, se não tratada, pode gerar outros transtornos como ansiedade e depressão.

Megan Fox como Mikaela Banes, em 'Transformers' | Reprodução: redes sociais

A própria Megan Fox revelou ter passado por um 'período sombrio' por conta do transtorno. Após o lançamento de 'Garota Infernal', a atriz foi vista como um símbolo sexual - o que a encheu de medo. "Eu não queria ser vista, não queria ter que tirar fotos, aparecer em revistas, andar em tapetes vermelhos, não queria ser vista em público de maneira alguma. Isso por causa do medo e da crença, a certeza absoluta de que zombariam de mim", disse em entrevista ao programa de TV Entertainment Tonight, em 2019. 

Tratamento 

Dificilmente a dismorfia corporal desaparece sem ajuda profissional. O tratamento psicológico é altamente recomendado para lidar com o transtorno e, em alguns casos, o auxílio de um psiquiatra também é necessário. 

Quanto mais cedo o TDC for identificado e tratado, melhor. Isso porque ao longo do tempo ele pode gerar outras questões de saúde mental, como distúrbios alimentares, ansiedade e depressão. Além disso, pessoas que sofrem com o transtorno geralmente buscam mais os procedimentos estéticos, gerando certa frustração, afinal nem as mudanças físicas conseguem eliminar os defeitos vistos no espelho. 

A boa notícia é que é possível dar a volta por cima: a própria Megan Fox revelou que tem lidado melhor com o transtorno. Segundo ela, trabalhar para não se ver como vítima da situação "dá o espaço para ter gratidão por algo pelo o que anteriormente você se sentia perseguido". 



*Sob supervisão da repórter Cláudia Callado