Moda e Beleza

Entenda como o estresse compromete a elasticidade e o viço da pele

Saiba como atenuar os efeitos, que são semelhantes aos causados pelo sol e tabaco

Talita Duvanel, da Agência O Globo

Tire o pé do acelerador porque o estresse do dia a dia pode afetar seu corpo muito mais do que você imagina. Além do sono, do humor e da disposição, ele compromete também a pele — e a forma como ela reage aos efeitos do tempo. O resultado disso? Maior propensão a manchas, linhas finas, flacidez e até doenças mais sérias, como psoríase e dermatite seborreica. “Quando estamos mentalmente estressados ou submetemos o corpo a uma situação extrema, como excesso de sol e exercícios físicos, iniciamos uma produção exacerbada de radicais livres. Eles quebram as fibras de colágeno e elastina que constroem a nossa pele”, explica a dermatologista Melissa Falcão.

Tanto é assim que, todo ano, pipocam no American Journal of Medicine diversos estudos correlacionando estresse psicológico ao envelhecimento. Em muitos deles, a rotina puxada aparece tão nociva para pele quanto o cigarro, à frente até do sol e da poluição, antigos e conhecidos vilões. “Todos esses fatores agem negativamente e aumentam manchas e linhas de expressão”, explica a dermatologista Betina Stefanello, da clínica Les Peaux.

Foto: reprodução / Shutterstock
Como exterminar os elementos estressantes do dia a dia não é uma tarefa fácil, a indústria da beleza não se cansa de colocar no mercado produtos que ajudam a minimizar seus efeitos na pele. A rotina com antioxidantes (em cremes, séruns ou via oral) é sem dúvida a melhor saída. “Eles têm moléculas que se conectam aos radicais livres e tentam impedir ao máximo a destruição do colágeno”, diz Betina. “A vitamina C é uma das principais substâncias, mas, hoje em dia, conhecemos outras moléculas que podem ser usadas, principalmente, em suplementação manipulada, como o romã, licopeno e enzima Q10”, completa.

Para quem prefere a boa e velha vitamina C, há diversas opções no mercado. O ideal é procurar pelo elemento puro — os derivados são mais indicados para quem sofre com sensibilidade. O uso é permitido de manhã e de noite, porém Melissa Falcão sugere inseri-lo na rotina diurna. “O ideal é usar a vitamina C antes do filtro solar, porque ela vai diminuir os danos que acontecem durante o dia”.