Moda e Beleza

Insatisfeita com o cabelo? Saiba onde você pode estar errando nos cuidados

O iBahia conversou com a dermatologista Karla Rebouças para tirar dúvidas e desvendar alguns mitos sobre a saúde capilar

Carlos Bahia* (carlos.filho@redebahia.com.br)

Assim como o nosso corpo, o cabelo também merece atenção no que se refere à saúde. A química nos fios, por exemplo, é algo prejudicial e que mostra efeitos negativos a curto e longo prazo. Até os produtos que supostamente são benéficos podem ter consequências negativas, se usados da maneira incorreta.

Para esclarecer questões sobre o assunto, o iBahia conversou com a dermatologista Karla Rebouças, da clínica Osmilto Brandão. A especialista listou dicas e desvendou alguns mitos relacionados ao cuidado com o cabelo, tanto diretamente ligados à saúde ou à estética dos fios. Confira!

Nada de alisamento e tintura ao mesmo tempo

Karla alerta que o alisamento e a aplicação de tinta no cabelo não devem ser processos realizados no mesmo dia. Para que não haja grandes prejuízos aos fios, os processos precisam ser realizados em um intervalo de 30 dias entre eles. "Caso não tenha jeito de esperar tanto tempo, faça primeiro o alisamento, hidrate o cabelo e só depois faça as luzes, porque o alisamento causa mudanças no cabelo que podem comprometer o resultado da tinta", aconselha a dermatologista.

Faça o seu cronograma capilar

Antes de usar algum tipo de produto, o ideal é procurar um dermatologista para construir o seu cronograma capilar, orienta Karla. É com ele que será possível se orientar para a utilização de produtos como a máscara capilar, por exemplo.

Atenção com o calor no cabelo

A especialista ressalta que as madeixas não devem ser expostas ao calor em excesso. Ela orienta, por exemplo, o uso de protetor térmico nos fios antes de usar secador ou chapinha. "No caso de secar, vale alternar vapor quente e vapor frio, para diminuir esse tempo de exposição ao calor", diz.

Além disso, ela alerta para nunca usar chapinha ou babyliss quando o cabelo estiver molhado. "Isso pode fazer bolhas nos fios e provocar a quebra deles", explica.

Se suou tem que lavar

Karla orienta a sempre lavar o cabelo após uma atividade física ou algo que faça a pessoa suar. "O suor contém sal, que pode ressecar o fio e prejudicar a qualidade dele, caso a pessoa deixe o suor secar". Um alto número de lavagens de cabelo não deve ser uma preocupação, segundo Karla. "É mito a história de quem acha que o cabelo cai mais se lavar mais. Os fios que caem são aqueles que estão mais fracos e já iriam cair de qualquer maneira", esclarece.

Cabelo ficou verde ao entrar na piscina?

Uma queixa recorrente, segundo Karla, é a de pacientes de cabelo loiro que adquirem coloração verde na piscina. Para evitar que isso aconteça, a dermatologista indica molhar o cabelo no chuveiro antes de entrar na piscina, pois isso irá diminuir a absorção dos componentes que dão a coloração indesejada.

Caso ele fique esverdeado mesmo assim, Karla recomenda shampoos anti resíduo ou uma receita caseira: um copo de água morna junto com uma colher de sopa de bicarbonato de sódio. Mistura e borrifa no cabelo. Deixa o produto por cinco a dez minutos.

Produtos indicados

Além da dica para quem tem cabelos loiros, Karla sugere o uso de óleo de coco, tanto para hidratação ao longo dos fios como para quem tem caspa, por exemplo, com uma ressalva. "Não é indicado para quem tem raiz oleosa, porque deixa o cabelo ressecado".

Outro produto indicado é o protetor solar para o cabelo. "Muita gente nem sabe que existe. O sol modifica a coloração do cabelo e pode provocar lesões. É uma exposição prejudicial aos fios. Por isso, o uso do protetor solar, que geralmente é encontrado como spray, é indicado quando for fazer atividades ao ar livre", concluiu Karla.

Fonte: Karla Rebouças, dermatologista - CRM 23551

*Sob orientação da repórter Lívia Oliveira