Moda e Beleza

Loja na passarela, modelo trans: confira os destaques dos dois primeiros dias do SPFW

São Paulo Fashion Week começou na segunda-feira e segue até sexta com o lançamento de 39 coleções

Gabriela Cruz* (gabriela.cruz@redebahia.com.br)
Coleção Karl Lagerfeld para Riachuelo chega hoje às lojas com peças que celebram o estilista (Fotos: Agência Fotosite/divulgação)


O segundo dia de São Paulo Fashion Week foi encerrado pela Riachuelo de uma forma inusitada. Depois de desfilar a coleção assinada em parceria com Karl Lagerfeld, a marca colocou em prática o conceito “see now buy now” (veja agora compre agora) e montou uma loja com todos modelos da linha na mesma passarela onde, minutos antes Isabeli Fontana e um time de modelos havia pisado.

Se você não estava lá e é fã do diretor criativo da Chanel e da Fendi, muita calma nessa hora. Hoje (27), a coleção feminina chega às lojas da Riachuelo dos shoppings Barra e Salvador. Entre os itens, camisetas estampadas com a silhueta do rosto de Lagerfeld, que virou pied-de-poules em calças skinny e camisas de manga longa, além de estampar botas e bolsas. Uma delas traz uma ilustração divertida de Choupette, a gata de estimação do estilista. Até o tweed, símbolo da Chanel, aparece em conjuntinho de casaqueto e minissaia. Os preços são bem variados, como as capinhas para iPhone por R$ 49 e a mochila por R$ 329. Mas não espere nada muito sofisticado.

NOVATAS

Numa temporada em que ficaram de fora marcas de peso, como Colcci e Animale, os olhares se voltam para as estreantes. Só ontem foram duas grifes fazendo seus primeiros desfiles no SPFW e até sexta-feira serão mais cinco a apresentar suas coleções na 41ª edição da principal semana de moda da América Latina.

Logo pela manhã, a Vix mostrou porque é a maior exportadora de biquínis do país, com 1.200 pontos de venda no mundo. O sudoeste da Ásia foi a inspiração da estilista Paula Hermanny para criar a série de looks despojados, em cores quentes, como laranja e pink, apresentados na Casa Jereissati. Destaque para os maiôs frente única, com diferentes recortes, ora cobrindo o colo, ora com decotes profundos.

(Fotos: Agência Fotosite/divulgação)

À tarde, no prédio da Bienal, em São Paulo, foi a vez da A.Brand – integrante do grupo Soma, junto com a Animale e a Farm – revelar seu DNA em moda feminina. A diretora criativa Ana Claudia Dias foi até o Havaí buscar referências no estilo leve e praiano do para elaborar uma coleção estilosa, com cores divertidas, shape oversize e silhuetas alongadas por conta do comprimento midi (no tornozelo) da maioria das peças. Destaque para a mistura e estampas (hibiscos gigantes, listras) e texturas criadas a partir de materiais como cetim de seda, crepe de chine, guipure, rendas com relevo, chamois e couro.

VAMOS FUGIR

Em tempos de crise, as mentes criativas da moda foram para bem longe, numa espécie de escapismo para um mundo perfeito. Muitas grifes se inspiraram em lugares distantes, paradisíacos ou misteriosos para criar suas coleções, como Adriana Degreas que foi até a Indochina para conceber mais uma aguardada coleção de moda praia. Tons quentes e opacos apareceram nas peças, muitas trazendo um mix do clássico com o moderno, como a seda plissada unida aos tecidos tecnológicos holográficos, criando diversos campos de sensações para gueixas modernas.

(Fotos: Agência Fotosite/divulgação)

Já a Osklen – que trocou o desfile por uma visita a uma de suas lojas, abrindo a programação do segundo dia – foi mais longe, até um lugar que não existe, saída da mente criativa de Oskar Metsavaht. O estilista inspirou-se na ilha imaginária de Monbupurih, "onde o céu e o mar se encontram em azuis infinitos e duas luas dividem espaço com o sol. Flores e frutos surgem híbridos e o tempo acontece entre o sonho e a realidade".

E para curtir esse lugar de escape da vida urbana, um casal cosmopolita que deseja "um estilo de vida simples, nobre e sofisticado" usa peças de formas soltas, alfaiataria tropical, desconstruções e camisaria e construções feitas a partir de lenços em viscose, linho, seda e tricô. As estampas - florais, botânicas e geométricas - vêm misturadas em patchworks digitais nos tons de amarelo, cenoura, verde, verde militar, off White, preto, navy e azul claro. Nos pés, chinelos feitos de pirarucu. Mesmo material usado nas bolsas.

Urbana que é até a alma, Juliana Jabour fugiu mesmo foi para a rua mesma. De um documentário que conta a história do skate nos anos 70 (“Dogtown and Z-Boys”), a estilista tirou sua inspiração para criar uma coleção com pegada esportiva, mas ainda romântica, megafeminina e até glamourosa em certos momentos, graças ao lurex dourado presente em alguns looks.

(Fotos: Agência Fotosite/divulgação)

Cores também foram temas recorrentes. Na Lolitta, a ideia foi tirar delas energia de luz, representadas na luminosa cartela selecionada pela estilista Lolitta Hannud para dar viva as suas já conhecidas peças em tricô, fazendo a cliente acreditar que a realidade pode ser mais leve e divertida. Já a PatBo olhou direto para as cores da bandeira brasileira, trazendo dela uma explosão de tons e uma profusão de estampas, tudo maxi, mas sem caricatura. O recado foi otimista. 

ABERTURA

Primeira marca a desfilar no SPFWn41, Lilly Sarti trouxe a coleção Sertão Líquido, na qual brincou com seres fantásticos, como a serpente do deserto, além de lendas e narrativas populares do sertão nordestino associadas às xilogravuras do artista pernambucano Gilvan Samico. Para dar vida às saias, calças, tops, vestidos e macacões fluidos (a maioria em comprimento midi), a estilista usou diversos materiais, como seda, linho, algodão, gabardines, crepe, renda, tule, jersey, malha canelado, jacquard, couro e chamais, e ainda inseriu a trama do crochê. A cartela de cores foi do branco ao preto, passando por tonalidades que lembram o mar e a areia.

A Uma, por Raquel Davidowicz celebrou seus 20 anos propondo uma reflexão. A coleção Consciência e Mudança apostou no conforto, em uma moda atemporal, tudo a ver com o DNA da marca. Na passarela, macacões, túnicas, calças, camisetas e vestidos com grandes fendas em tons como off White, azul navy, bege e cinza. Destaque para as peças em jeans com caimento de seda e a série de amarelos.

(Fotos: Agência Fotosite/divulgação)

Entre todas suas habilidades, Harry Houdini se destacou pelo ilusionismo. E foi olhando para os registros de seu cotidiano e ofício mais notório que Luiz Cláudio, com sua Apartamento03, tirou os elementos para justapor ao seu guarda-roupa de Verão, redesenhando o corpo em grandes proporções e provocando a plateia com elementos que nem sempre são o que parecem. Para seu show de magia, o estilista escolheu uma cartela de cores enxuta - rosa chiclete, azul denim, verde, off White e preto - aplicada em materiais diversos, como jacquard, seda, crepe de chine, duches ele seda, organza dublada com renda, tricoline de algodão e organza bordada. 

"Não sei se a arte pode nos salvar, mas tenho certeza de que ela pode nos conduzir ao melhor que há em nós para que não nos desperdicemos na vida". As palavras do escritor angolano Valter Hugo Maē (além das do moçambicano Mia Couto) deram o norte para Ronaldo Fraga (@fragaronaldo) criar a coleção Re-existência, última a desfilar na Bienal, em São Paulo, no primeiro dia de SPFWn41. 

O estilista abordou o drama dos refugiados na Europa usando a moda como ferramenta. "No computador, amplio as imagens do barco-túmulo, procurando ali o indivíduo e os mastros de esperança que o sustenta. Com o zoom, o ocre desaparece revelando flores e grafismos multicoloridos impressos em vestidos, calças e camisas. De perto todo sujeito é uma estória particular", descreve Ronaldo.

TRANS

A passarela do criador mineiro foi o palco da estreia da modelo transgênero Camila Ribeiro, 24 anos. Natural do Amazonas, formada em design, chegou no SPFW trazendo no currículo trabalhos em Paris, Nova York e Milão, incluindo para a grife Givenchy. Sua presença foi confirmada em mais dois desfiles: À La Garçonne e Triya. 

(Fotos: Agência Fotosite/divulgação)

Hoje, quem abre o dia do SPFWn41 é o baiano Vitorino Campos, que lança sua primeira linha de acessórios com a Melissa. A temporada de moda segue até sexta-feira. No total, 39 marcas apresentarão suas coleções.

*A jornalista viajou a São Paulo a convite da organização do SPFW


Correio24horas