Moda e Beleza

Manual completo sobre como cuidar das sobrancelhas em casa

Para te ajudar, o iBahia entrevistou a esteticista Ana Carolina Reis e solucionamos algumas das principais dúvidas quando o assunto envolve cuidados com a sobrancelha

Maria Beatriz Pacheco* (maria.beatriz@redebahia.com.br)
- Atualizada em

"Uma garota com a sobrancelha feita não quer guerra com ninguém", conforme enuncia essa  famosa frase da internet, é fato que a sobrancelha faz total diferença no visual da mulher. Enquanto permanecemos em casa para combater a disseminação do novo coronavírus e os salões de beleza estão fechados, os pelinhos na região próxima aos olhos começam a crescer e o designer vai por água abaixo. No entanto, não é preciso desespero! Para te ajudar, o iBahia entrevistou a esteticista Ana Carolina Reis e preparou uma manual sobre como ter sobrancelhas lindas em casa com base em questionamentos comuns sobre o assunto. 

Foto: reprodução
1. "Nunca mexi nas minhas sobrancelhas sem a ajuda de uma especialista, por onde começo?"

Antes de tudo, é preciso saber o que pode e o que não se deve fazer sem a ajuda de um especialista. Ao iBahia, Ana Carolina explica que, em casa, o ideal é apenas retirar o excesso dos fios. "Mexer no design usando uma tesoura ou até a própria pinça pode ocasionar uma falha que custará um bom tempo para preenchê-la", recomendou.

De acordo com a esteticista, os fios retirados pela raiz demoram cerca de 15 a 20 dias para nascer, período em que podem ser removidos novamente. O primeiro passo é fazer a higienização do rosto para, em seguida, colocar a "mão na massa" ou melhor, "na pinça". "A forma correta de segurar a pinça é o 'pegar com  firmeza', para que o fio saia pela raiz, sem partir, e retirar somente o excesso que está nascendo", explicou Ana Carolina. Vale lembrar que, na dúvida, é sempre melhor tirar menos do que a  mais.

2. “Sinto um forte incômodo ao fazer a sobrancelha até mesmo no salão, e agora?”

Algumas mulheres possuem uma sensibilidade à dor maior do que as outras, mas é possível amenizar esse incômodo com algumas atitudes simples. Para isso, é importante higienizar a pele antes do procedimento, hidratá-la e fazer compressas de algodão embebida em água gelada.

3. "Não me sinto segura ao cuidar das sobrancelhas sem a ajuda de um profissional. Existe alguma forma de salvá-la?”

Para a especialista, nestes casos, somente o uso de maquiagem é recomendado. No mercado de cosmético e beleza, existem algumas sombras e lápis específicos para preencher as sobrancelhas.  O procedimento é similar ao com a pinça: Deve-se realizar a higienização, e preencher as falhas com o cosmético.  O uso de corretivos para contornar a região também ajudam a iluminar o olhar. “Usar corantes e/ou tintas pode ser arriscado, desencadeando algum tipo de reação alérgica”, sinalizou a especialista.



5. "Fiz microblanding fio a fio há um tempo. Existe alguma forma de mantê-lo intacto durante a quarentena?"

Uma dos métodos adotados pelas mulheres nos salões para manter as sobrancelhas bem cuidadas de uma forma prática se chama microblanding fio a fio. O procedimento consiste em uma espécie de maquiagem semi-permanente para delinear a sobrancelha de forma simétrica e dura cerca de um ano. Com o passar do tempo, é notório o desgaste dele e na quarentena não seria diferente. No entanto, para tentar retardar esse processo, Ana Carolina recomenda o uso diário de protetor solar facial adequado ao tipo de pele e evitar produtos que contenham ácido na composição.

6. “Afinal, existe uma sobrancelha perfeita?”

Grossas ou afinadas, arqueadas, simétricas ou não, as sobrancelhas são uma das grandes responsáveis pelas expressões no rosto e ainda há quem diga que elas podem refletir a personalidade. Com a ajuda de um profissional, é possível escolher um designer que melhor se adeque ao formato do rosto, curva do nariz e expressões da mulher. No entanto, enquanto ainda não é possível consultar um especialista, cuidados diários podem ser feitos em casa  e representam um passo para alcançar a sobrancelha perfeita.

*Sob supervisão da repórter Lívia Oliveira