Moda e Beleza

Para não dar ruim: tudo que você precisa saber sobre corte químico

O corte química acontece quando existe o abuso de química nos fios

Redação Dino


Ter cabelos de cinema é um sonho recorrente entre parte das mulheres, que desejam fios mais sedosos, longos, brilhantes e principalmente, hidratados e fortes. As idas aos salões de beleza e investimento em tratamentos caseiros se perdem em quantidade e já são parte da rotina.

Mas, durante o ritual de cuidados, os processos químicos como descolorações e colorações realizadas podem causar estragos terríveis à saúde e estética capilar, comprometendo também a autoestima feminina.

Quando existe uma incompatibilidade entre produtos ou exagero no uso de fórmulas que contêm muita química, os cabelos ressecam, perdem o viço e a força, porém, existe outra consequência que torna as noites de sono tranquilo em pesadelo: o corte químico, desastre que “derrete” os fios, partindo os cabelos e provocando a queda de muitos fios - ou de todos - da cabeça.

A precaução é importante

Para evitar que isso aconteça, existem algumas precauções que devem ser tomadas por quem gosta de mudar o visual. A primeira dica, procurar ajuda profissional sempre que possível para fazer os procedimentos que alteram a estrutura dos fios, que devem ser minuciosamente analisados antes de qualquer coisa, considerando o histórico de químicas e as condições em que se encontram.

Para complementar, é importante ler as recomendações contidas nas embalagens, já que a maioria orienta que um teste de mechas seja feito, evitando assim, possíveis processos alérgicos ou danosos que podem acontecer.

O teste é altamente recomendado, já que se algo não der certo após o período de pausa, a vontade de mudança no visual deverá ser revista ou até mesmo, cancelada, tendo em vista a preservação dos cabelos.

Como reverter


Se os cuidados preliminares não foram tomados e o estrago já foi feito, existem soluções imediatas, que unidas a um pouco de paciência e dedicação, vão trazer o comprimento, força e nutrição dos cabelos.

O primeiro passo – e mais radical – é o corte da área afetada, muitas mulheres não aprovam essa alternativa, porém, nesse caso, é um mal necessário, pois elimina a área danificada, permitindo que o crescimento aconteça de forma saudável.

As outras recomendações incluem reconstrução, cronogramas capilares, fortalecimento com queratina e hidratações constantes, que podem ser feitas em casa, utilizando bons produtos para cabelos quimicamente tratados, ressecados e quebradiços.



O uso de secadores, chapinhas e babyliss não é indicado, uma vez que o calor resseca mais ainda os fios já frágeis, podendo inclusive, romper ainda mais os fios. Manter uma alimentação balanceada também é primordial, já que o bulbo capilar é nutrido através da ingestão de alimentos.

Portanto, se a dieta é desregrada, também é recomendável aderir aos suplementos de vitamina indicados para estimular o crescimento capilar através da reposição de nutrientes.

Esses produtos costumam ser comercializados em forma de cápsulas para ingestão diária, e auxiliam na recuperação dos fios. Eles também beneficiam as unhas e a pele.