Moda e Beleza

Rinoplastia não é tudo igual: conheça diferentes tipos de procedimento estético para nariz

Segundo otorrinolaringologista Guilherme Scheibel, técnicas da cirurgia devem se adaptar às características de cada paciente

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

A busca pela perfeição levou o Brasil a liderar o ranking de país que mais realiza cirurgias plásticas, segundo uma pesquisa global feita pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética. A rinoplastia está entre as mais procuradas, mas o que poucos sabem é que existem diferentes tipos do procedimento.

O otorrinolaringologista Guilherme Sheibel afirma que a abordagem da cirurgia varia muito de acordo com o paciente: "A escolha do procedimento mais adequado é guiada pelas características do indivíduo. Assim, as técnicas de rinoplastia são diversas e se adaptam às finalidades e particularidades de cada um". Confira os tipos mais comuns, segundo o médico:

Em relação ao tempo

Rinoplastia Primária: Nada mais é do que a primeira cirurgia realizada no nariz.

Rinoplastia Revisional: Tem o objetivo de corrigir características que não foram alteradas ou que surgiram como consequência de rinoplastias prévias. Pode ser secundária, terciária, quaternária e por aí vai.

Em relação à técnica

Rinoplastia Ressectiva: Uma cirurgia rápida, que pode ser realizada em menos de uma hora e meia. Utiliza técnicas e conceitos mais antigos em que é feita somente a remoção de cartilagens. Normalmente o resultado estético é mais artificial e as chances de causar colapso do nariz e alterações funcionais a longo prazo são maiores. Inclusive, é a principal geradora de casos revisionais.

Rinoplastia Estruturada: Nela se usam enxertos para reconstruir, remodelar e manter o nariz funcional. Por isso, é mais demorada. Com ela, é possível ter uma maior precisão e naturalidade do resultado, além de uma alta estabilidade da ponta e das narinas, diminuindo a chance de se alterarem com o tempo.

Outro fator que também influencia na escolha de cirurgia é tipo de nariz. Por ser um país composto por pessoas de muitas origens diferentes, não existe apenas um único tipo de nariz brasileiro. Dessa forma, as técnicas de rinoplastia também variam conforme o formato do nariz de cada pessoa.  De acordo com Scheibel, os padrões mais populares no Brasil são:

Nariz Curto ou Asiático: É identificado pela carência de elevação do dorso e pela ponte mais larga e baixa, o que aparenta ser um nariz de baixo volume e a impressão de nariz achatado. Nesse caso, a rinoplastia tem como objetivo levantar o dorso.

Nariz Negroide: Tem semelhança com o nariz asiático, mas com as asas mais alargadas e o dorso mais curto. Como o próprio nome sugere, o formato de nariz negroide é identificado em pessoas de etnia negra ou pessoas de pele clara com ascendência africana. Nesse formato, identifica-se uma base mais alargada, com as narinas também bastante alargadas, ponta arredondada e o dorso curto e baixo.

Nariz Caucasiano: Sua principal característica é giba nasal (localizada no dorso do nariz) elevada, o que fica ainda mais em destaque quando se está de perfil. Geralmente, possui excesso de osso e cartilagem, formando aquele carocinho no dorso. Comum em descendentes de italianos, judeus e árabes. As pacientes que optam pela cirurgia buscam retirar essa “ondulação”.

Nariz Adunco: Geralmente possuem uma curvatura muito característica e a ponta do nariz projetada para baixo quando a pessoa sorri, formando o famoso “bico de águia”. Pacientes que possuem esse formato de nariz dizem parecer mais velhas por causa dele, e a rinoplastia busca a redução do nariz e a sustentação da ponta nesses casos.

 

Assim, é necessário prestar atenção em todos os detalhes para que a cirurgia seja bem-sucedida. "O especialista também deve respeitar as características raciais do paciente para encontrar o formato de nariz que harmoniza melhor com o restante do rosto", concluiu.