Moda e Beleza

Saiba quando optar entre calcinha modeladora, cinta e pós-cirúrgica

Tipos diferentes têm funções específicas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Hoje em dia, a calcinha é muito mais que uma peça de roupa. Ela pode ter o poder de aumentar a autoestima da mulher, além de ter uma finalidade prática, para modelar o corpo ou até ajudar na recuperação de uma cirurgia. Cada tipo, no entanto, tem especificidades que inviabilizam o uso em certos casos.

Veja, por exemplo, as melhores situações para usar a calcinha modeladora, a cinta ou a pós-cirúrgica, além dos defeitos dela para cada circunstância.

Calcinha modeladora

A calcinha modeladora virou febre nos últimos anos. Nomes como Kim Kardashian e Kylie Jenner foram responsáveis por popularizar a peça. Essa lingerie específica é feita com um material de alta compressão e possui cintura mais alta do que uma calcinha normal. Seu objetivo é deixar a silhueta esguia e ajudar aquela mulher que quer diminuir alguns centímetros da região do abdômen. Porém, é importante ter cuidado com a calcinha modeladora. Uma peça apertada demais pode causar dores, afetar a circulação e até mesmo prejudicar o funcionamento dos órgãos internos. 

Além de se atentar ao tamanho, é importante que a mulher não utilize a calcinha modeladora por muito tempo. O indicado, de maneira geral, é no máximo oito horas por dia. A peça não é aconselhada para quem tem problemas de circulação sanguínea. Alguns sintomas de alerta são tendências a varizes e dormência excessiva nas pernas.

Calcinha cinta

À primeira vista, a cinta tem o mesmo objetivo da calcinha modeladora: deixar a mulher com a silhueta mais fina. Porém, diferente da primeira, não tem o propósito de causar efeitos duradouros no corpo. Esse tipo de peça, apesar de também ter um poder de compressão maior do que as outras lingeries, é menos apertada. A maioria, inclusive, é feita com grande porcentagem de algodão, deixando a textura macia. 

A cinta é aconselhada para ocasiões específicas, nas quais a mulher deseja modelar a região do abdômen em poucos segundos, como, por exemplo, uma festa formal com vestido justo ou em uma entrevista de emprego com uma saia lápis. Porém, os cuidados devem permanecer. Cintas apertadas podem ser prejudiciais ao corpo e também não devem ser usadas por longos períodos.

Calcinha pós-cirúrgica 

Por fim, a calcinha pós-cirúrgica tem um propósito inteiramente médico. Com a compressão ainda maior do que as outras, a roupa vai até a região abaixo dos seios e tem a função de proteger o corpo. 

Como o próprio nome sugere, a peça deve ser usada após alguma cirurgia na região do abdômen ou costas, sendo um procedimento estético ou clínico. Nesse sentido, ela irá restringir os movimentos, focando principalmente na preservação dos pontos e da pele recém machucada. 

Normalmente, a calcinha pós-cirúrgica é usada por dias seguidos, sendo tirada apenas para o banho. Porém, cada caso é um caso. Apenas um profissional da saúde poderá indicar o uso e informar detalhes importantes como tamanho ideal e tempo necessário de utilização.