Moda e Beleza

Sete cuidados importantes para quem usa secador e chapinha

Distância correta e temperatura regulada dos aparelhos estão na lista

Agência O Globo
- Atualizada em

Secador e chapinha são duas invenções que muita gente não vive sem. Seja para mudar a textura, modelar ou acelerar a secagem dos fios, os dois acabam sendo espécies de melhores amigos de muitas mulheres. Mas, como tudo na vida, há uma porção de contras, apesar dos prós. E a gente precisa ficar de olho!

"No couro cabeludo, o calor do secador pode aumentar a oleosidade e seborreia. Ao longo do cabelo, ele pode provocar o que chamamos de 'bubble hair'. O calor excessivo é capaz de ferver a água presente na fibra, formando bolhas que se rompem e deformam o fio", explica a dermatologista Juliana Piquet, do Rio: "com a chapinha, o dano é ainda maior que o provocado pelo secador. Ela faz com que proteínas importantes sejam perdidas, o que compromete a estrutura da haste. A fibra danificada, portanto, fica mais sujeita à quebra".  Para que os efeitos sejam minimizados, listamos aqui algumas cuidados para quem não vive sem essa dupla.


* Distância ideal entre secador e cabeça

Nada de encostar o bocal nos fios e couro cabeludo. Mantenha sempre uma distância segura. - O ideal é dar, pelo menos, 15cm entre o fio e o aparelho. Indico também revezar o jato por toda a cabeça, sem focar apenas em uma área. Isso diminui os riscos de queimar demais - explica Camila Gomes, cabeleireira do Jacques Janine Fashion Mall, no Rio.

* Temperatura da chapinha

Quem acha que a potência máxima ajuda a melhorar o resultado está muito enganado. Ela só atrapalha! - Não é recomendável para nenhum tipo de cabelo. Eu nunca uso - diz Marcio Sanchez, do TP Beauty Lounge, no Rio. - Se o fio for fino, deve ser usada a potência mínima. Se o fio for de médio a grosso, a potência média.

* Atenção para o alongamento

Fios com megahair, fita ou ponta americana precisam de cuidados redobrados na hora da secagem. - O ideal é que seque raiz com uma distância de 15cm para não derreter a cola. Os fios naturais aguentam muito mais o calor do que os sintéticos - diz Camila.

* Chapinha só em fios secos

De jeito nenhum passe a chapinha no cabelo molhado. É estrago na certa, garante Marcio, que também aconselha que o cabelo passe primeiro pelo secador: - Alisar o cabelo na chapinha depois que ele secou ao natural também quebra muito o fio. O cabelo precisa ser escovado antes, porque a secagem ao natural acaba criando dobras que quebram com a chapinha.

* Cuidado com óleos

Não passe nenhum tipo de produto que contenha óleo mineral antes de usar a chapinha, pois, estimulado pelo calor, o ingrediente atinge temperaturas altíssimas que literalmente "fritam" o cabelo.

* Coloração em risco

O excesso de calor muda muito a cor dos fios, então quem pinta o cabelo deve ter cuidado redobrado. Desbotamento é o principal problema, diz Camila. - Quem usa descolorante pode ficar com o fio muito amarelado. No caso da tinta,acontece uma oxidação acelerada devido ao calor excessivo, o que leva ao desbotamento dos tons.

* Cuidados antes da secagem

Protetores térmicos e hidratações regulares ajudam muito a minimizar danos, de acordo com Juliana Piquet: - É interessante aplicar um protetor térmico, pois ele forma uma espécie de filme ou película protetora na superfície dos fios, ajudando a manter sua integridade. Em geral esses protetores associam silicones e óleos vegetais. Produtos contendo queratina e lipídeos hidratam e recuperam os fios danificados.