Moda e Beleza

Tudo que você precisa saber sobre o transplante de barba

Procedimento é a solução para para barbas com falhas, para esconder cicatrizes ou até mesmo para homens transexuais que não conseguem desenvolver os pelos do rosto apenas com o tratamento hormonal

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Cansado de sofrer com a falta de pelos faciais? O transplante de barba pode ser a solução. O procedimento, que tem ganhado cada vez mais adeptos, é a solução para para barbas com falhas, para esconder cicatrizes - como as decorrentes de lábio leporino -, ou até mesmo para homens transexuais que não conseguem desenvolver os pelos do rosto apenas com o tratamento hormonal, essa intervenção é tranquila e garante bons resultados.

Para te ajudar a entender como funciona o procedimento, a médica Leticia Odo, que é especialista em cabelos e cirurgiã-plástica, respondeu os principais questionamentos sobre o assunto. 

Como funciona?

O transplante de barba nada mais é do que remover de pequenos folículos capilares (geralmente da parte de trás da cabeça do paciente, mas também podendo ser outras regiões, como abaixo do queixo) e implantá-los na região da barba e bigode.

Isso pode ser feito tanto com um corte de bisturi na região doadora, onde a cicatriz é linear na região posterior do couro cabeludo (técnica FUT), ou por micropunch (técnica FUE), em que são feitas microincisões em cada unidade folicular.

Para a correção de falhas, toda a intervenção costuma ser concluída em apenas uma sessão, mas esse número pode aumentar dependendo da ausência de pelos e necessidade de preenchimento do paciente.

Quando e para quem é indicado?

O procedimento é indicado para qualquer pessoa que já tenha passado pela puberdade e não tenha alcançado a barba que deseja mesmo depois de utilizar fármacos. No caso dos homens transexuais, também é indicado caso o paciente esteja insatisfeito com a sua barba, mesmo com os tratamentos hormonais.

Antes, durante e depois da cirurgia

Para preparar o paciente para a cirurgia, são solicitados alguns exames, como de sangue e cardíacos, para confirmar que a pessoa está em boa saúde e apta para passar pela intervenção sem riscos.

O procedimento é simples e feito com anestesia local e sedação. E leva, em média, 6 - 8 horas. A recuperação também costuma ser tranquila e sem muitas dores.

Antibióticos são receitados para evitar infecções. Os cuidados pós-operatórias envolvem cessar o consumo de álcool e tabagismo temporariamente, lavar a cabeça e a região da barba suavemente apenas com água e sabonete e evitar exposição ao sol e esforço físico por um período de, em média, 14 dias.

Resultado

Cerca de três semanas após o procedimento, é natural que os pelos transplantados caiam. Mas não se preocupe: isso faz parte do processo, e, a partir do 8º mês é que o resultado poderá realmente ser visto. E, na grande maioria das vezes, é bastante satisfatório e natural, já que até mesmo o direcionamento do pelo é feito de acordo com os fios originais. Exceto em situações de doença associada como doença autoimune por exemplo, esse pelo será eterno.

Por baixo da barba, não haverá cicatrizes. Sendo assim, é possível também usá-la completamente raspada sem que apareçam sinais da cirurgia.