Moda e Beleza

Veja como funciona o cronograma capilar

A hidratação é responsável por repor a água e os nutrientes essenciais aos fios

Agência O Globo

Com as prateleiras das perfumarias cada vez mais cheias de produtos para cabelos, e o excesso de informações sobre como cuidar das madeixas em vários lugares, ir ao salão de beleza já não é mais obrigatório. É possível fazer uma rotina de cuidados com os fios chamada de cronograma capilar, que intercala três tratamentos principais: hidratação, nutrição e reconstrução. Cada etapa oferece uma solução específica para cabelos danificados por fatores como o uso excessivo de ferramentas de calor, procedimentos químicos de coloração ou descoloração, poluição, incidência de raios solares, cloro da água, entre outros. O tratamento é indicado para todos os tipos de cabelo, independentemente da textura ou da curvatura, já que todos os fios sofrem com fatores externos. Ao intercalar os cuidados, dentro de um período sugerido de quatro semanas, é possível suprir as necessidades dos fios e restaurar completamente a saúde capilar. “É preciso que a pessoa entenda o que o cabelo está precisando, para não enchê-lo do que não é necessário”, ensina o hair stylist Ricardo dos Anjos.

Água nunca é demais, mas só hidratar não adianta

Foto: reprodução
A hidratação é um dos tratamentos mais conhecidos e mais óbvios quando o cabelo está ressecado. Esse procedimento é responsável por repor a água e os nutrientes essenciais aos fios. No calendário do cronograma capilar, esse tratamento é o que pode ser utilizado mais vezes sem danos. É que, normalmente, o excesso de água não faz mal.

— O único problema é que, muitas vezes, a pessoa só faz a hidratação e se esquece das outras etapas do cronograma. Hidratar bastante não faz mal porque água nunca é demais. Mas não dá para fazer da hidratação o único tratamento para o cabelo — ensina Ricardo dos Anjos.

Para usar os produtos certos para essa etapa do cronograma capilar, o ideal é que alguns ingredientes estejam presentes na composição. O D-Pantenol proporciona hidratação de longa duração, maciez e brilho; a manteiga de oliva hidrata profundamente o cabelo a longo prazo; o óleo de coco extravirgem é rico em vitamina E e ácidos graxos; e a babosa hidrata, regenera e auxilia no combate à queda dos fios, além de ser um antioxidante natural.

— Quando o cabelo precisa de hidratação, ele é áspero ao toque, justamente porque está sem água. Um cabelo desidratado, normalmente, também não tem movimento — explica o cabeleireiro.

Óleos são a pedida

A nutrição capilar é o tratamento responsável por repor oleosidade aos fios. Esses óleos são gorduras produzidas pelo couro cabeludo, e sua função é dar ao cabelo uma camada protetora, deixando-o macio, brilhante e com as cutículas fechadas. A nutrição é importante, ainda, para manter a hidratação dentro do fio. Incluir a nutrição capilar no cronograma é a garantia de que o cabelo vai ficar mais protegido. Os cabelos ondulado, cacheado e crespo costumam apresentar maior tendência ao ressecamento, pois sua curvatura e sua textura impedem que a oleosidade natural produzida pelo couro cabeludo chegue às pontas. Por isso, entre os tratamentos mais indicados para eliminar o ressecamento, está a nutrição capilar.

— Às vezes, é difícil saber se o fio está desidratado ou desnutrido, porque o cabelo se apresenta ressecado nas duas situações. O truque é perceber o brilho do cabelo. Se o fio está sem brilho é mais fácil que esteja desidratado do que desnutrido. Se está brilhoso, mas sem movimento com certeza está nutrido, mas está desidratado — ensina Rick.

Os óleos e as manteigas são os ingredientes mais importantes nessa etapa. Dormir com um óleo vegetal no cabelo e tirar na manhã seguinte (umectação noturna) é uma ótima pedida para esse momento do cronograma.



Uso com cautela


Essa etapa do cronograma é a que deve ser usada com a maior cautela porque, em excesso, pode causar danos sérios ao cabelo. Isso porque a reconstrução age na reposição de proteínas aos fios, especialmente a queratina, produzida pelo corpo humano, que representa cerca de 90% da constituição do fio. Ela é responsável por garantir força, elasticidade e resistência à fibra capilar, pois é riquíssima em aminoácidos e poderosa reconstrutora da fibra danificada.

Por ser uma etapa muito potente, só pode ser feita se houver uma real necessidade do cabelo. Só fios muito danificados, fracos e elásticos devem passar pela reconstrução quinzenal. É que essa etapa é indicada para os que precisam recuperar toda a massa capilar perdida em processos químicos e com o uso de secador, chapinha e babyliss.

— Se um cabelo que não precisa passa por uma reconstrução, ele fica rígido, perde movimento, fica pesado. As pessoas precisam entender que, em cabelo saudável, essa etapa só é feita uma vez ao mês. De resto, é só hidratar e nutrir mesmo — afirma Rick, que é consultor expert de Match, de O Boticário. Fique de olho nas máscaras com colágeno, creatina, arginina e cisteína, que são os componentes reconstrutores.