Mundo

Após três meses desaparecida, garota de 13 anos consegue escapar de cativeiro

O nome de Jayme chegou ao topo da lista de desaparecidos do FBI, e uma recompensa de US$ 50 mil foi oferecida

Agência, O Globo
- Atualizada em

Uma menina de 13 anos foi resgatada com vida após ser sequestrada pelo assassino de seus pais há três meses, em Winsconsin, nos Estados Unidos. Com cabelos desgrenhados e sapatos maiores que seu tamanho, Jayme Closs conseguiu fugir do cativeiro a pé na última quinta (10), enfrentando uma temperatura média de -9ºC, e pediu socorro a uma mulher que passeava com o cachorro. O suspeito Jake Thomas Patterson, de 21 anos, foi preso.

Oriunda da pequena cidade rural de Barron, de apenas 3.400 habitantes, a adolescente foi imediatamente reconhecida no condado de Douglas, região vizinha. A pedestre a levou à casa mais próxima para receber os primeiros cuidados e esperar as autoridades. Em seguida, Jayme foi atendida em um hospital da região, onde conversou com os investigadores e aguarda o reencontro com a família, previsto para ocorrer ainda nesta sexta. Ela agora deve morar com a tia Jennifer Smith, irmã da mãe e guardiã legal da menina.

“Quando soube que ela estava viva, eu derramei muitas lágrimas de felicidade. Eu só queria gritar o mais alto possível. Vou abraçá-la forte, dizer que ela pode contar comigo e que eu a amo muito”, emocionou-se Jennifer, em entrevista ao Good Morning America, da ABC. Outro tio, Jeff Closs, estava em choque.

“Você não tem certeza se ela vai ser encontrada e, quando você finalmente recebe essa notícia, é simplesmente inacreditável. Estamos todos muito gratos e felizes. Nós já esperávamos um desfecho diferente”, admitiu a uma afiliada da rede NBC. Ele disse que ainda não tem muitas informações e que espera que a sobrinha esteja bem.
Patterson foi detido com duas acusações de homicídio intencional de primeiro grau e uma por sequestro. Em coletiva na manhã desta sexta (11), o xerife do condado de Barron, Chris Fitzgerald, disse que a polícia acredita que Patterson tenha "planejado suas ações" e matado os pais da vítima com o objetivo de sequestrá-la. Ainda não se sabe se Jayme e Patterson se conheciam ou tiveram qualquer contato antes do crime.

Foto: Reprodução

No dia 15 de outubro, por volta de 1h da manhã, os policiais encontraram os pais de Jayme, James e Denise Closs, de 56 e 46 anos, mortos com tiros na casa da família. A porta da frente estava arrombada, e a arma, assim como a menina, não foram  encontradas. O crime brutal chocou a cidade, inclusive o xerife de Barron, Chris Fitzgerald.

“Nossa investigação preliminar indica que Jayme estava em casa na hora dos homicídios e que foi sequestrada, e acreditamos que ela ainda esteja em perigo. Todos nós sabemos que essas coisas não são comuns por aqui”, declarou à imprensa na ocasião.

Era o início de uma busca de três meses. O nome de Jayme chegou ao topo da lista de desaparecidos do FBI, e uma recompensa de US$ 50 mil foi oferecida. Um grupo de voluntários, que chegou a ter 2 mil membros, também procurava a adolescente pela região.