Mundo

Cantor internacional é alvo de mais de 11 acusações graves de abuso sexual

Artista deve comparecer ao Tribunal em 6 de junho

Agência O Globo
- Atualizada em

O cantor americano R. Kelly, dono do hit "I Believe I Can Fly", enfrenta mais uma série de acusações de agressão sexual. Os promoteres do Condado de Cook entraram com um processo incluindo 11 novas denúncias de abuso sexual contra o artista, incluindo acusações que podem levar a uma sentença de 30 anos de prisão, a mais séria que ele já enfrentou, informou o "Chicago Sun Times".

Foto: Reprodução | Redes Sociais 

A suposta ofensa aconteceu em janeiro de 2010, de acordo com os registros do tribunal. O documento não contêm muitos detalhes e pode ser que não envolva uma nova vítima, pois as iniciais coincidem com alegações registradas anteriormente.

O novo caso acusa o cantor de:4 agressões sexuais, criminosas agravadas, 2 agressões sexuais à força, 2 abusos sexuais criminais agravados, 3 abusos sexuais criminais agravados contra menores, de idades entre 13 e 16 anos.

Kelly, que está livre após um acordo legal de U$ 1 milhão feito em fevereiro, deve comparecer ao tribunal no novo caso em 6 de junho. As alegações no início do ano envolviam quatro supostas vítimas, sendo três meninas menores de idade.

O advogado de Kelly, Steve Greenberg, disse na quinta-feira que foi notificado, mas ainda não analisou os detalhes do caso.

"Vamos ver quais são as cobranças e procederemos de acordo", disse Greenberg ao jornal. “O que eu sei é: são muito antigas. São acusações de anos atrás."

As quatro acusações de agressões sexuais criminais agravadas são todas designadas como crimes de "Classe X", que acarretam uma sentença potencial de até 30 anos de prisão se Kelly for condenado. Os quatro casos arquivados em fevereiro foram acusados ​​de crimes de nível inferior que tinham sentenças máximas de até sete anos.