Mundo

Capitão da companhia aérea é acusado de matar sua filha ao bater a cabeça dela na parede

Na perícia foi constatado que o crânio da criança estava fraturado e o cérebro havia sido "esmagado"

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br )

Um homem de 41 anos, identificado como Mohamed Barakat, é acusado de matar a própria filha bebê, durante um ataque de raiva, batendo a cabeça dela nas paredes de um hotel cinco estrelas Cazaquistão. As informações são do jornal britâncio DailyMail. 

De acordo com o DailyMail, o suspeito, que trabalha como capitão de companhia aérea, agrediu a esposa antes de ferir fatalmente a filha, Sofia, de um ano. Ele havia ingerido bebida alcoólica. 

Mohamed Barakat foi preso após a esposa, Madina Abdullayeva, pedir ajuda no saguão do hotel em que estavam hospedados. Ele pode pegar até 20 anos de prisão por assassinato. O piloto nega as acusações. 

Ainda segundo o jornal, Mohamed havia feito a esposa ligar para sua companhia aérea para dizer que estada "doente". Depois da ligação, ele perdeu a cabela e começou a agredir a esposa. A criança estava dormindo e acordou com a briga. 

"Ele caminhou até a cama do bebê, pegou sua filha Sofia nas mãos e bateu com força nas paredes e portas do quarto de hotel. Tendo garantido que Sofia Barakat não mostrava sinais de vida, ele a colocou no chão perto da porta de entrada do quarto de hotel", diz a acusação à reportagem da Astana TV.

O corpo da criança passou por perícia e foi constatado que o seu crânio estava fraturado e o cérebro havia sido "esmagado". 

Em defesa Mohamed Barakat, o advogado Tair Nazkhanov afirmou que não tem como provar a culpa do cliente na morte do bebê. "Os relatórios dos exames forenses indicaram que não havia impressões digitais e DNA de Mohamed no corpo da criança, o que significa que ele nem tocou a criança naquele dia". O caso terá uma nova audiência.