Mundo

Cientista desenvolve álcool que não provoca a ressaca

Em até cinco anos, a ressaca ficará só em clássicos do cinema, como "Se beber, não case".

Agência O Globo

Você é daqueles que bebem preocupados com a ressaca? Pois, ao que parece, ela está com os dias contados. O diretor de Neuropsicofarmacologia do Imperial College, de Londres (Inglaterra), está trabalhando no desenvolvimento de um álcool sintético que promete afastar o indesejado efeito colateral das bebidas. Em até cinco anos, a ressaca ficará só em clássicos do cinema, como "Se beber, não case".

David Nutt criou uma molécula, chamada de "alcoolsinto", que tem como alvos receptores cerebrais específicos.

"Sabemos qual local do cérebro é responsável pelos efeitos bons e ruins e quais receptores mediam esses processos: ácido gama-aminobutírico (Gaba), glutamato e outras substâncias, como serotonina e dopamina", contou o cientista ao jornal "The Guardian".

A partir da molécula é desenvolvido o Alcarelle, o produto sintético que não inibie as sensações provocadas pelo consumo do álcool (como "ficar alegre"), mas sem aquela dor de cabeça e o gosto de guarda-chuva, alguns dos efeitos clássicos do dia seguinte. Nutt acredita até que alguns tipos de câncer poderão ser evitados com a novidade.

Nutt diz esperar que os fabricantes de bebidas alcoólicas insiram o álcool sintético nas suas fórmulas. Porém, para isso, o cientista precisará trabalhar num dos maiores desafios: o gosto desagradável do Alcarelle.