Mundo

Diretor de saúde defende sexo casual na quarentena do coronavírus: 'Sexo é bom, saudável'

Ele afirmou até os solteiros não devem se inibir por medidas de isolamento

Agência O Globo

País da Europa Ocidental que primeiro começa a flexibilizar as restrições da quarentena para combater o novo coronavírus, a Dinamarca defende também o sexo casual durante a pandemia. Em uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (20), Søren Brostrøm, diretor-geral da Autoridade de Saúde da Dinamarca, afirmou que mesmo os solteiros com um número relativamente alto de parceiros sexuais diferentes não devem se sentir inibidos por medidas de distanciamento social.

— Sexo é bom. Sexo é saudável. Nós somos seres sexuais, e é claro que você pode fazer sexo nessa situação — afirmou, de acordo com o site The Local, da Dinamarca: — Como qualquer outro contato humano, há um risco de infecção. Mas é claro que é preciso poder fazer sexo.

O vírus não é sexualmente transmissível, mas o contato físico característico da relação sexual traz risco de infecção às pessoas. Ainda assim, as autoridades dinamarquesas não criam restrições ao sexo. Ainda mais se for com um parceiro regular.

— Não acho que exista uma proibição de reunião. Isso é apenas em relação a assembleias maiores. Portanto, acho que ainda há a oportunidade de ter esse tipo de contato e, principalmente, com um parceiro permanente — afirmou Kåre Mølbak, diretor da agência de doenças infecciosas da Dinamarca, que ressaltou que as diretrizes de distanciamento social na Dinamarca não devem desencorajar o namoro ou encontros sexuais completos.

Na Dinamarca, crianças já voltaram às aulas e alguns serviços, como salões de beleza, dentistas e fisioterapeutas voltaram a funcionar nesta segunda-feira.