Mundo

Em isolamento, marido de médica mata vizinhos por excesso de barulho

Três pessoas morreram no local, outras duas tentaram se esconder num apartamento, mas Anton as seguiu e as matou também

Fernando Moreira, da Agência O Globo

Anton Franchikov, de 31 anos, matou cinco pessoas quando ele estava sob quarentena no seu apartamento, em condomínio de Yelatma (Rússia), devido à pandemia de coronavírus. O motivo alegado pelo russo foi que as vítimas estavam fora das suas casas fazendo muito barulho. Anton os advertiu aos gritos e, como não foi atendido, pegou um rifle e abriu fogo. Três pessoas morreram no local, outras duas tentaram se esconder num apartamento, mas Anton as seguiu e as matou também, de acordo com a imprensa local.

Anton e a esposa (Foto: reprodução)

O agressor, que também estava de licença-paternidade, tentou fugir, mas acabou capturado por policiais. Ele trabalha na parte administrativa de uma clínica onde a mulher é médica. Ela estava no banho quando os disparos foram feitos.

As vítimas foram identificadas como o casal Yevgeny e Kristina Tabunov, de 24 e 22 anos, Ilya Kondrakov, de 26, Viktor Kapitanov, de 24, e Maksim Ukhov, de 31.

A familia Franchikov é descrita como "comum" por vizinhos e colegas de trabalho do casal. Porém a polícia está investigando relatos de violência doméstica, segundo o "Metro".