Mundo

Família denuncia funcionários de escola que pintaram cabelo de estudante com marcador

Estudante disse ao pais que recebeu duas alternativas para "resolver o problema": colorir o couro cabeludo ou ser suspenso

Agência O Globo
- Atualizada em

Os pais de um estudante de 13 anos estão processando a escola onde ele estuda após o menino ter o cabelo pintado com um marcador de texto. O caso aconteceu em Houston, no estado do Texas, nos Estados Unidos.

Foto: Reprodução

Segundo a denúncia, três funcionários brancos da Berry Miller Junior High pintaram a cabeça do estudante alegando que o "corte de cabelo afro-americano" do adolescente "violava o código de vestimenta" aceito pela escola. A família diz ainda que o trio "ria enquanto pintava o cabelo" dele e que os rabiscos que eles fizeram "demoraram dias para sair do couro cabeludo".

O estudante disse ao pais que recebeu duas alternativas para "resolver o problema": colorir o couro cabeludo ou ser suspenso. Como não queria prejudicar sua equipe de atletismo, o estudante aceitou a primeira opção.

Serão investigados o diretor-assistente Tony Barcelona, que atualmente é diretor, a funcionária Helen Day e a professora Jeanette Peterson. O distrito escolar também é réu na ação.

As regras sobre como os estudantes no distrito devem se vestir ou usar o cabelo não fazem nenhuma menção a desenhos com o do estudante. Há apenas informações de que cores que gerem distração não serão permitidas, bem como bigodes, barbas, cavanhaques ou costeletas. Chapéus, bonés e bandanas não são permitidos, mas há uma exceção para itens religiosos.