Mundo

Homem obrigou filho de 11 anos a fazer sexo com a madrasta: 'para não virar gay'

“Eles roubaram minha inocência e arruinaram minha infância", desabafou Daniel Dowling

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um homem britânico de 36 anos, identificado como Daniel Dowling, revelou durante uma entrevista ao Sunday Mirror que foi obrigado pelo pai a transar com a madrasta quando tinha 11 anos para que ‘não se tornasse gay’.

“Eles roubaram minha inocência e arruinaram minha infância. Era o dever do meu pai me proteger”, declarou Daniel Dowling ao tabloide Sunday Mirror.

Na entrevista, Daniel contou que os abusos começaram em tarde de domingo quando o pai e a madrasta jogam um jogo de tabuleiro. “Papai me disse que íamos tentar algo diferente – tirar a roupa sempre que alguém perdesse. No final do jogo, Annette estava completamente nua. Eles me instruíram a tocar e beijar os seios dela. Ele estava me incentivando a fazer isso, então achei que estivesse tudo bem. Eu acho que foi um teste de como eu iria reagir porque a relação sexual começou depois disso”. Daniel também afirmou que o casal chegou a sugerir que ele fizesse sexo com os dois.

De acordo com informações do Sunday Mirror, Daniel só conseguiu fazer uma denunciar o ocorrido em 6 de setembro de 2015 após o pai (Richard Dowling) confessar os abusos.

No julgamento, Richard explicou que fez isso para “tentar levar o filho para direção certa” porque ele demonstrava tendências homossexuais. “Ele disse que fez isso para evitar que eu me tornasse gay porque eu tinha traços femininos”, revelou.



Richard Dowling e esposa, Annette Breakspear, foram condenados a oito anos de prisão em regime fechado por consumar o ato com um menor.

Daniel não guarda boas lembranças da infância. “Fui sexualizado em uma idade jovem demais. Sexo hoje é um trauma pra mim e não significa nada. As poucas memórias felizes da minha infância foram sobrepostas pelos traumas de tantos abusos”, lamentou Daniel.