Mundo

Jogador de futebol abre processo contra companhia aérea após assédio sexual durante voo

O atleta contou que uma passageira do avião amarrou seu pênis e arrancou a máscara de proteção

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Um jogador norte americano da National Football League (NFL) abriu um processo contra a companhia aérea United Airlines no qual alega que sofreu assédio sexual durante um voo da empresa. O atleta contou que uma passageira do avião amarrou seu pênis e arrancou a máscara de proteção que ele usava para evitar a contaminação do novo coronavírus. As informações são do jornal 'The Guardian'.

Ainda segundo o jornal, no processo o jogador é identificado apenas como um homem afro-americano e a sua identidade não foi revelada. No processo, consta ainda que ele sofreu o abuso em um voo que saiu de Los Angeles para Newark.

De acordo com o processo, a vítima estava sentada na cadeira do meio, ao lado de um amigo também um homem afro-americano. No depoimento, o atleta contou que a suspeita, que estava sentada ao lado da janela, fazia 'avanços sexuais indesejados' e que ele relatou isso quatro vezes à tripulação.

A mulher só foi trocada de lugar após a quarta tentativa de reclamação, mesmo tendo assediado o jogador diversas vezes ao longo da viagem. Com as primeiras queixas do jogador sendo ignoradas, a suspeita começou a "segurar o seu quadril e a arrastar a sua mão em direção à parte interna das pernas, próxima à genitália".