Mundo

Jovem que empurrou amiga de ponte é condenada a dois anos de prisão; veja queda

Com a queda, amiga teve seis costelas quebradas, perfuração em um pulmão e ferimentos na traqueia

Agência O Globo
- Atualizada em

A jovem americana que empurrou uma amiga do alto de uma ponte de 18 metros (equivalente a um prédio de seis andares) em Yacolt (Oregon, EUA) foi condenada a apenas dois dias de prisão. A sentença foi proferida na quarta-feira (27/3). Na semana passada, Taylor Smith declarou-se culpada no caso, que causou comoção e revolta nas redes sociais americanas. Inicialmente, Taylor sustentava que Jordan tinha pedido ajuda para saltar.

"Acho que você precisa de algum tempo na cadeia", disse o juiz Darvin Zimmerman ao proferir a sentença diante de Taylor, conforme noticiou a NBC News. Taylor visitava um parque ambiental com amigas em 7 agosto do ano passado. Uma delas, Jordan Holgerson, mostrava-se vacilante diante da altura. Foi quando Taylor resolveu dar um "empurrãozinho" em Jordan.


Jordan sofreu vários ferimentos na queda: seis costelas quebradas, perfuração em um pulmão, escoriações sobre o esôfago e ferimentos na traqueia. O quadro ainda incluiu pneumotórax. Antes de sair a sentença, o advogado de Jordan leu o depoimento da vítima: "Este pesadelo começou para mim quando estava em queda livre. Fiquei realmente aterrorizada. Quando foi tirada da água, pensei: Vou morrer. Porque não conseguia respirar. Vi o meu corpo mudar de cor em um segundo."

Ao assumir a culpa, Taylor evitou uma condenação severa. A imprensa americana chegou a noticiar que a jovem não passaria um dia na prisão. Além dos dois dias de prisão, a americana foi multada em US$ 300 (cerca de R$ 1.200), terá que cumprir 38 dias de trabalho comunitário e está proibida de entrar em contato com Jordan por dois anos.

Taylor se desculpou com Jordan e a sua família e disse que está "crescendo como pessoa". "Jordan está direto nos meus pensamentos desde o incidente", declarou. Antes do pronunciamento de culpa em tribunal no condado de Clark (Oregon, EUA), Taylor comentou "se sentir muito mal" com o episódio e disse ter procurado a amiga várias vezes para se desculpar. Jordan e familiares retrucaram dizendo que o comportamento de Taylor não era autêntico. 

"Ela estava fazendo contagem regressiva. Eu disse que não estava pronta, e, de repente, ela me empurrou", disse Jordan em entrevista. A vítima acrescentou que esperava ver Taylor na cadeia. No tribunal, Genelle Holgerson, mãe de Jordan, disse não ter dúvida de que Taylor tenha agido de forma intencional. "Depois de empurrar, ela não desceu para ver se Jordan estava bem. Simplesmente desapareceu", desabafou.

Assista à queda: