Mundo

Justiça concede liberdade a homem que ajudou mulher a morrer

Em um vídeo gravado por ele mesmo minutos antes, o homem pergunta à mulher se ela tem certeza de que deseja morrer

Agência O Globo
O homem que foi preso após ajudar a mulher a morrer, na Espanha, foi colocado em liberdade, sem medidas cautelares, após comparecer a uma audiência perante a um juiz. A informação é do jornal espanhol Público, que credita as informações a fontes jurídicas. Ángel Hernández, de 69 anos, aplicou arsênio na mulher, María José Carrasco, de 62 anos — ela sofria de esclerose múltipla há três décadas e seu quadro era irreversível.
Ele foi preso em Madri, nesta quarta-feira. A soltura ocorreu nesta quinta-feira. Após ministrar a substância letal, de acordo com o jornal espanhol "El Mundo", Ángel chamou o serviço de emergência e comunicou que a esposa estava morta.
Em um vídeo gravado por ele mesmo minutos antes, o homem pergunta à mulher se ela tem certeza de que deseja morrer. Ela confirma com a cabeça. Em uma carta escrita por Ángel e divulgada pela associação em defesa da eutanásia "Derecho a Morir Dignamente" ("Direito a morrer dignamente", em espanhol), o homem explica que sua esposa já tinha 82% de sua capacidade intelectual comprometida pela doença e que há anos pedia ajuda para morrer.