Mundo

Menina de 5 anos pega vibrador da mãe e dá para amiguinha como pulseira da amizade

'Oi, a Myla deu isso para a Isabella no ônibus hoje?', questionou a mãe da garotinha presenteada à dona do brinquedo

Agência O Globo
- Atualizada em

Uma mãe levou um susto quando descobriu que sua filha de 5 anos levou seu vibrador para a escola e, sem ter ideia do que era, o deu de presente para uma colega de classe como uma "pulseira da amizade". Kahla Maneely, moradora da Pensilvânia, nos Estados Unidos, publicou no Facebook, na última terça-feira (19), uma conversa por mensagem de texto com a mãe da amiguinha que recebeu o tal item.

"Oi, a Myla deu isso para a Isabella no ônibus hoje?", questionou a mãe da menina à Kahla. "Ela (Myla) deve ter mexido nas suas coisas rsrs", acrescentou em outra mensagem, seguida da foto do objeto para maiores de idade.

A história repercutiu entre os seguidores de Kahla e ganhou maior proporção na internet após a divulgação de matérias em portais de notícia como "UNILAD" e "Daily Mail".

"Agora que o sentimento inicial de choque passou, não consigo parar de rir, não consigo respirar. Eu não poderia ter tornado essa m* possível mesmo se eu tentasse", escreveu ela no post.

"Edit: para todos que estão dizendo o quanto aparenta estar desgastado, é claro que está! Você sabe quantas vezes deve ter sido largado, esticado, pisado, etc, desde o momento em que ela o levou até o momento em que foi encontrado quase 12 horas depois?! Eles são baratos, de uso único", acrescentou.

Foto: Reprodução/Facebook

A menina depois explicou para a mãe que tinha vasculhado em seu armário e acabou encontrando o objeto dentro de uma gaveta que, segundo Kahla, estava novo em folha.

"Eu não sabia o que fazer, nunca fiquei tão envergonhado em toda a minha vida", disse a mãe. "Era importante que ela soubesse que era novo em folha e não havia sido usado porque isso seria nojento".



Apesar de muitos internautas terem levado a história com bom-humor, Kahla desabafou, nesta sexta-feira, sobre as acusações que vem recebendo de ter contado o fato apenas por querer aparecer. Ela negou que tenha sido com esse objetivo e explicou que foram os portais de notícia que a procuraram, e não o contrário. A americana também disse que não vendeu as informações para ninguém, conforme apontavam algumas das críticas.

"Eu juro, sempre deve haver pessoas miseráveis que precisam transformar tudo em algo negativo. Estavam comentando sobre a notícia, dizendo coisas como 'Assustada? Mas ela correu para a imprensa, está apenas fazendo isso pela fama'. Sim, eu estava em choque no momento porque não podia acreditar que isso tivesse acontecido. Logo depois, superei meu constrangimento e morri de rir. 'Correu para a imprensa?' Rsrs, eu tive jornalistas me procurando, e não o contrário. Eu não vendi minha história, achei engraçado e deixei uma nova agência publicá-la para que outras pessoas pudessem rir dela como tantas outras. Eu juro, cara, as pessoas têm que relaxar", afirmou a mãe de Myla Eisenhower.