Mundo

Mulher é condenada por matar filhas que 'atrapalhavam vida sexual'

Ambas as crianças morreram sufocadas

Agência, O Globo
Louise Porton foi condenada por juíza uma de Birmingham (Inglaterra) à prisão perpétua pela morte das duas filhas, Lexi, de 3 anos, e Scarlett, de 1 ano e 5 meses. A inglesa alegou que as duas "atrapalhavam a sua vida sexual com homens".
Primeiramente, Louise matou Lexi, em 15 janeiro de 2018. No julgamento, foi revelado que, apenas um dia depois da morte, a ré aceitou 41 pedidos de encontro em um aplicativo de relacionamento, contou reportagem do "Independent".
Louise havia tentado matar a filha uma semana antes. Quando a menina estava hospitalizada, a mãe fez fotos seminua em banheiros do centro médico e chegou a fazer sexo por dinheiro com homens que conhecera na internet.
Foto: Reprodução
Em 1º de fevereiro, Louise matou a filha mais nova. Durante o enterro, a inglesa foi vista conversando animadamente com um homem pelo celular.
Ambas as crianças morreram sufocadas.
A juíza Amanda Yip disse que as ações de Louise foram "perversas e calculadas". A ré foi descrita nos cinco dias de julgamento como "tranquila e sem emoção".
A inglesa passará ao menos 32 anos encarcerada. Após isso, ela ficará elegível à liberdade condicional.