Mundo

Mulher é hospitalizada após 'desintoxicação' de ano novo

Ela ingeriu quantidade excessiva de líquidos e ervas, que provocaram convulsões

Agência O Globo
Uma mulher de meia-idade desenvolveu uma complicação potencialmente fatal após uma dieta de "desintoxicação" de ano novo, que envolveu a ingestão de muitos líquidos e vários remédios à base de plantas, revelaram os médicos nesta terça-feira, na revista on-line "BMJ Case Reports".
A mulher não teve sua identidade revelada, mas sabe-se que ela tem 47 anos e passava bem antes de seguir o programa de "desintoxicação". Nele, o consumo de líquidos e medicamentos que têm como base a raiz de valeriana, por exemplo, foi maior do que o habitual, segundo ela contou aos médicos. A mulher foi internada no Hospital Milton Keynes, na Inglaterra, após um breve período de confusão e comportamento repetitivo, como o ranger de dentes, que durou uma hora. Ela, então, desmaiou e sofreu uma convulsão.
Os médicos que a atenderam ressaltaram que as pessoas devem ficar atentas a programas "detox" que envolvem o consumo de quantidades excessivas de fluidos ou remédios alternativos, porque isso pode causar danos possivelmente graves aos organismos. A família da paciente internada revelou que a sede dela havia aumentado muito nos últimos dias, o que a levou a beber mais água e chá, mas eles não perceberam que isso poderia ser excessivo.
HIPONATREMIA GRAVE
Ela também estava tomando remédios de ervas para vários sintomas menores, consumindo regularmente substâncias como glutamina, composto de vitamina B, vervain, chá de sálvia, chá verde e raiz de valeriana. A paciente relatou que ela esteve recentemente sob estresse e vem sofrendo de mau humor.
Os médicos dizem que a confusão inicial e as convulsões da moça foram causadas pela hiponatremia, uma condição na qual há um nível anormalmente baixo de sódio no sangue. Depois de pesquisar os remédios de ervas usados pela paciente, os médicos descobriram um caso de um homem com histórico de ansiedade que teve convulsões devido a uma hiponatremia grave.
Os sintomas desse homem se desenvolveram depois de ele consumir uma grande quantidade de remédio de ervas que continha raiz de valeriana, juntamente com bálsamo de limão, florde maracujá, lúpulo e camomila.
RAIZ DE VALERIANA É SUSPEITA DE CAUSAR QUADRO
Os médicos explicam que, em ambos os pacientes, a ingestão de líquidos não parecia ser excessiva o suficiente para causar um nível tão baixo de sódio, o que requer consumo de mais de 10 litros por dia para alguém com rins saudáveis. Segundo os especialistas, é possível que a raiz de valeriana tenha alterado esse limiar, permitindo que a hiponatremia se desenvolvesse numa fase anterior.
— A raiz da valeriana já foi suspeita em dois casos associados com hiponatremia grave, com risco de vida, e os profissionais de saúde devem estar atentos a isso — destacaram os médicos.
PRODUTOS NATURAIS PODEM TER EFEITO COLATERAL
No entanto, eles alertam que, sem outras evidências que possam comprovar isso ou um mecanismo que forneça uma base científica, nenhuma conclusão definitiva pode ser tomada sobre o fato de a raiz de valeriana ser ou não a responsável pelas condições desenvolvidas por esses pacientes.
Os médicos destacam, porém, que "o mercado de medicina complementar é muito popular no Reino Unido, e o conceito de desintoxicação de ano novo com produtos naturais é atraente para os menos preocupados com a medicina baseada em evidências e mais com a medicina complementar".
"A ingestão excessiva de água como forma de 'purificar e limpar' o corpo é também um regime popular com a crença de que os resíduos nocivos podem ser lavados do organismo. Todos os produtos naturais podem ter algum tipo de efeito colateral, apesar de haver um marketing sugerindo o contrário".