Mundo

Mulher tem os olhos arrancados por conseguir emprego

"Só consegui trabalhar e viver meu sonho por três meses", lamentou a afegã

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Uma mulher de 33 anos, identificada como Khatera, teve os olhos arrancados após arranjar emprego, na província de Ghazni, no Afeganistão, com o apoio do marido. De acordo com a agência Reuters, a última coisa que ela lembrava era de ter visto três homens em uma motocicleta que a atacaram - atiraram nela e a apunhalaram nos olhos com uma faca. 

Em entrevista a agência, ela contou que acordou no hospital e tudo estava escuro. "Eu perguntei aos médicos, por que não consigo ver nada? Eles me disseram que meus olhos ainda estão enfaixados por causa das feridas. Mas naquele momento, eu sabia que meus olhos haviam sido tirados de mim", disse ela.  

Ainda segundo a Reuters, ela e as autoridades locais culpam os extremistas do Talibã pelo ataque - que negam envolvimento, embora seja uma prática recorrente da milícia radical islâmica - e dizem que os agressores agiram com base em uma denúncia do seu pai, que se opôs veementemente ao fato de a filha trabalhar fora de casa. O pai dela foi preso. 

Khatera havia começado a trabalhar na polícia de Ghazni havia alguns meses. "Eu gostaria de ter servido na polícia por pelo menos um ano. Se isso tivesse acontecido comigo depois disso, teria sido menos doloroso. Aconteceu cedo demais. Só consegui trabalhar e viver meu sonho por três meses", lamentou a afegã.

"Muitas vezes, quando estava de serviço, vi meu pai me seguindo ... ele começou a contatar o Taleban nas proximidades e pediu que me impedissem de ir para o meu trabalho", disse ela.