Mundo

Músico mexicano é encontrado morto após acusação de abuso de menor

No mesmo dia, Armando Vega Gil postou um bilhete no Twitter afirmando que era inocente

Agência, O Globo

Armando Vega Gil, fundador e baixista da banda de rock mexicana Botellita de Jerez, se matou na segunda-feira depois de publicar um bilhete suicida no Twitter dizendo que foi acusado falsa e anonimamente de abusar sexualmente de uma menor de idade.

O músico de 64 anos foi encontrado morto em sua casa na Cidade do México, confirmaram autoridades. Ele disse ter sido acusado anonimamente, através da hashtag #MeTooMusicosMexicanos, de abusar e assediar uma mulher quando ela tinha 13 anos de idade.

"Eu o direi categoricamente, esta acusação é falsa", disse Vega Gil no bilhete. "Quero deixar claro que minha morte não é uma confissão de culpa, pelo contrário, é uma declaração radical de minha inocência. Só quero limpar o caminho que meu filho percorrerá no futuro."

Foto: Reprodução

A representante do Botellita de Jerez, Paola Hernandez, disse que conversou com Vega Gil perto das 2h, cerca de duas horas antes do suicídio.

"Ele estava realmente triste e irritado, não sabia como limpar o nome. Ele disse que não era culpado... estava preocupado com a maneira como seu filho lidaria com tudo isso", contou ela em uma entrevista a uma rádio.