Mundo

Nasa anuncia abertura da Estação Espacial para turistas

Para participarem, os interessados deverão passar por avaliações médicas e procedimentos de treinamento

Agência, O Globo
A Nasa anunciou nesta sexta-feira em Nova York que a partir do próximo ano autorizará a ida de turistas, chamados pela Nasa de "astronautas particulares", à Estação Espacial Internacional, assim como o uso do local por empresas, que poderão desempenhar atividades comerciais e de marketing.
"A NASA abre a Estação Espacial Internacional para oportunidades comerciais", afirmou Jeff DeWitt, diretor financeiro da agência norte-americana.
Segundo Robyn Gatens, gerente da estação, poderão ser feitas duas missões curtas de astronautas particulares por ano. Com isso, a Nasa espera que a indústria privada possa desenvolver as tecnologias espaciais, ajudando com seus planos de retornar à Lua em 2024, para onde será levada a primeira mulher, e contribuindo com obtenção de fundos para pesquisas de desenvolvimento de naves espaciais privadas.
As missões para os turistas podem durar até 30 dias. Para participarem, os interessados deverão passar por avaliações médicas e procedimentos de treinamento. A proposta é que eles possam realizar tarefas que se enquadrem nas atividades comerciais e de marketing aprovadas nas diretrizes divulgadas nesta sexta-feira.
Também faz parte do plano que empresas privadas possam usar "habitações flutuantes" como a Estação Espacial Internacional para preparar seu caminho a outros destinos do sistema solar.
De acordo com a Nasa, mais de 50 empresas já estão conduzindo pesquisas e desenvolvimentos comerciais na estação espacial através do Laboratório Nacional da Estação Espacial Internacional, "e seus resultados são promissores". Um trabalho com 11 empresas, por exemplo, gerou 14 instalações comerciais de apoio a projetos de pesquisa e desenvolvimento.
"Uma nova diretriz da NASA permitirá a fabricação e produção comercial e permitirá que tanto a NASA quanto os astronautas privados conduzam novas atividades comerciais a bordo do laboratório em órbita. A diretiva também estabelece os preços para o uso industrial dos recursos do governo dos EUA na estação espacial para atividades comerciais e de marketing", afirmou a agência num comunicado.