Mundo

Nos EUA, tatuadora faz sucesso com desenhos que brilham no escuro

Os desenhos criados por ela têm contornos especiais que brilham quando expostos à luz negra

Agência O Globo

O movimento clubber já se foi há algum tempo, mas se você é do tipo que tem a boate como segunda casa provavelmente vai se amarrar nas tatuagens de Kayla Newell. Os desenhos criados por ela têm contornos especiais que brilham quando expostos à luz negra.

Com mais de cem mil seguidores no Instagram, a artista que vive em Portland, nos Estados Unidos, compartilha várias imagens que mostram as variações no desenho. Alguns detalhes são quase imperceptíveis, se vistos apenas sob iluminação natural.

Kayla tem 29 anos e contou ao site Dazed Digital que começou a tatuar aos 21. Desde as primeiras criações ela usa a mesma paleta de cores, mas foi aos 25 que percebeu que havia uma identidade especial ali.

-  Estava sendo tatuada e notei numa prateleira da loja que havia tintas em tons brilhantes de rosa, laranja e verde. Ninguém usava essas cores na época, mas lembro de vê-las e pensar: "são as minhas cores ali". Logo percebi que reagiriam à luz negra, embora não houvesse nada no rótulo que informasse isso - lembra.

A comprovação veio em uma visita ao museu de ciências de Portland:

- Fui lá em uma excursão escolar, e havia uma sala cheia de cristais e pedras em que havia uma luz negra que fazia brilhar alguns dos minerais fluorescentes. Foi provavelmente a coisa mais incrível que já vi.