Mundo

Passageiros ficam 16h presos dentro de avião após porta congelar

Após algumas horas de voo, uma emergência médica com um dos passageiros obrigou o avião a desviar a sua rota

Agência O Globo

Os passageiros do voo 179 da United Airlines, de saída do Aeroporto Internacional de Newark, na cidade americana de Nova Jersey, com destino para Hong Kong, enfrentaram uma sequência de "turbulências" durante esse fim de semana, incluindo passar quase 16 horas presos no avião sem que ele decolasse.

O avião decolou inicialmente às 15 horas do horário local. Após algumas horas de voo, uma emergência médica com um dos passageiros obrigou o avião a desviar a sua rota para o aeroporto de Goose Bay, uma base militar na província de Terra Nova e Labrador, no Canadá. De acordo com um comunicado da United Airlines, após a aeronave pousar, uma equipe médica encontrou o passageiro e o transportou para um hospital local.

Mas os problemas não pararam por aí.

— Depois que os profissionais médicos ajudaram o passageiro a sair, nos disseram que estávamos apenas reabastecendo e depois voltaríamos para Newark — disse o passageiro Steven Lau à rede americana NBC News. — Mas houve um problema em fazer com que uma das portas de emergência fechasse com segurança.

Depois de várias horas tentando consertar a porta, por volta de meia-noite do horário local, os passageiros foram informados de que ela estava congelada.

"Antes da partida, a aeronave passou por um problema mecânico. O aeroporto não tinha funcionários da alfândega durante a noite, então não pudemos deixar os clientes saírem. Uma aeronave alternativa está sendo enviada para transportar os clientes de volta a Newark", disse a United Airlines em uma declaração no domingo de manhã."Pedimos desculpas aos nossos clientes e nossa equipe está fazendo todo o possível para ajudá-los durante o atraso."

Durante a permanência da aeronave no asfalto, a cabine não perdeu calor nem energia.

No domingo, por volta das 05 horas, a companhia aérea disse que o avião de resgate ainda não havia saído. Enquanto isso, os passageiros já estavam há cerca de 14 horas parados com o avião na pista.

Os passageiros podiam se movimentar livremente pela cabine e a tripulação de voo fez o possível para disponibilizar alimentos e bebidas durante o atraso. No domingo de manhã, funcionários do aeroporto de Goose Bay ainda levaram rosquinhas e café de uma rede de fast food canadense.

— Os comissários estão fazendo o possível para auxiliar os passageiros — disse um porta-voz da companhia aérea.

Depois de algumas horas, a tripulação foi autorizada a sair do avião em pequenos grupos para esticar as pernas em um pequeno terminal no aeroporto.

O tempo de espera foi tão longo que um passageiro criou uma conta no Twitter com o nome do voo, "Salvem o United 179", e ainda fez uma brincadeira com o "Desafio dos 10 anos".

Por volta de 12h de domingo, uma aeronave alternativa chegou ao aeroporto de Goose Bay e os passageiros começaram a desembarcar.

A companhia aérea informou que todos os passageiros, ao chegarem em Nova Jersey, tiveram refeições, hospedagem e outras compensações oferecidas.