Mundo

Peritos da ONU que investigaram uso de armas químicas na Síria já estão no Líbano

A equipe, formada por 13 inspetores, fará um relatório sobre o que apurou na país

Agência Brasil
Já estão no Líbano os inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) que investigaram denúncias de uso de armas químicas pelo governo da Síria. Eles chegaram ao Líbano na manhã deste sábado (31), em seis veículos com o símbolo das Nações Unidas e estavam escoltados por vários carros das forças de segurança libanesas.

Os peritos deixaram a Síria depois de colher dados sobre as denúncias de um ataque químico contra civis na periferia da capital, Damasco, que agora serão enviados para análise em laboratórios europeus.

A equipe da ONU, formada por 13 inspetores, fará um relatório sobre o que apurou na Síria e, se for necessário, o secretário-geral da organização, Ban Ki-moon, poderá informar, neste fim de semana, o Conselho de Segurança sobre os resultados da investigação.

Os dados e informações que os inspetores começaram a recolher segunda-feira (26) baseiam-se "não só em amostras [físicas], mas também em entrevistas com testemunhas", e vão permitir construir "uma narrativa baseada em fatos" para tentar reconstituir o que de fato ocorreu no dia 21 de agosto, disse na quinta-feira (29) o porta-voz da ONU, Farhan Haq.

Segundo números dos serviços secretos dos Estados Unidos, divulgados sexta-feira (30) pelo secretário de Estado John Kerry, o ataque com armas químicas causou a morte de 1.429 pessoas, incluindo 426 crianças.

O relatório final dos peritos será distribuído a todos os Estados-Membros da ONU.