Mundo

Robinho e amigo são condenados em segunda instância por violência sexual em grupo

Atacante e o amigo são acusados e condenados em duas instâncias de terem abusado sexualmente de uma mulher albanesa em uma boate, em Milão (Itália), em 2013

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

A Corte de Apelação de Milão condenou, em segunda instância, o jogador Robinho e o amigo Ricardo Falo pelo crime de violência sexual em grupo. O tribubal também confirmou a pena de nove anos de prisão nesta quinta (10). As informações são do globoesporte.com

De acordo com o globoesporte.com, os advogados de Robinho e Falco vão recorrer à Corte de Cassação, tribunal no sistema judiciário do país equivalente ao Supremo Tribunal Federal no Brasil.

Só após o processo tramitar em terceira instância que o acusado poderá ser considerado culpado pelo crime.

O atacante e o amigo são acusados e condenados em duas instâncias de terem abusado sexualmente de uma mulher albanesa em uma boate, em Milão (Itália), em 2013. Na época, Robinho era um dos principais jogadores do Milan.  A defesa do jogador alegou que o ato sexual foi consensual.


Em 2014, Robinho disse em depoimento que houve sexo oral, mas com a permissão da jovem e sem participação de outras pessoas.

Em outro deste ano, o globoesporte.com revelou diálogos do jogador com seus amigos que embasaram a condenação em primeira instância. Após a divulgação da reportagem, o Santos suspendeu o contrato com Robinho.

Os dois acusados estão no Brasil e foram representados pelos seus respectivos advogados. A vítima esteve presente no tribunal acompanhada do seu advogado, Jacopo Gnocchi.