Mundo

Segurança é morto a tiro por impedir entrada sem máscara de proteção em loja

Funcionário foi baleado por um homem logo após dizer a uma mãe e uma filha que elas não poderiam entrar no estabelecimento

Redação iBahia
- Atualizada em

Um segurança de uma loja em Michigan, nos Estados Unidos, foi morto a tiro após impedir a entrada de uma mãe e uma filha sem máscaras no estabelecimento. De acordo com a imprensa americana, Calvin Munerly, de 43 anos, foi baleado pouco depois de dizer a elas que não poderiam circular na loja, já que a filha não estava usando máscara de proteção facial contra a transmissão do coronavírus.

Sharmel Teague, de 45 anos, é flagrada pelas câmeras de segurança cuspindo e gritando com o funcionário. As duas são impedidas de entrar  na loja e partem em um carro vermelho. 20 minutos depois, o mesmo veículo retorna, com mais duas pessoas, que entram no estabelecimento. 

Um deles confrontou o segurança por ter desrespeitado sua mulher e o outro o matou com um tiro na nuca, de acordo com o promotor do condado de Geenesee, David Leyton. 

Os dois homens, além da mulher, foram acusados de assassinato premeditado em primeiro grau. Não há informação sobre a filha, que não foi indiciada.