Mundo

Sobrevivente do voo da Chapecoense escapa da morte em acidente de ônibus

Veículo caiu de barranco por cerca de 150 metros e causou a morte de 20 pessoas

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

O boliviano Erwin Tumiri renasceu mais uma vez na última terça-feira (2). Sobrevivente do trágico voo que matou grande parte da delegação da Chapecoense em 2016, o técnico de aviação também escapou da morte após o ônibus em que ele estava cair cerca de 150 metros de um barranco. As informações são do G1.

Ao todo, 21 pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas. O veículo caiu na rota entre as localidades de Cochabamba e Ivirgarzama. Erwin estava a caminho da cidade de Chimoré, onde trabalha. “O ônibus estava rodando, aí eu agarrei o banco da frente, sabia que íamos bater porque viajávamos em alta velocidade”, contou à imprensa local.

Além de dizer que o veículo corria bastante na viagem, o sobrevivente contou que o ônibus fez uma parada "estranha" logo depois de iniciar a viagem. As pessoas dentro do veículo começaram a gritar após a queda. O boliviano disse que se segurou na poltrona quando viu o que acontecia. "Continuei agarrado, não soltei até atingirmos o solo", lembrou.

O voo da LaMia que levava os jogadores da Chape para a final da Copa Sul-Americana terminou com 71 mortos e apenas seis sobreviventes.