Mundo

Terapeuta enterra vivos para enterrar problemas psicológicos

Abordagem terapêutica se mantinha em segredo até que um camponês achou 12 caixões abandonados

Agência O Globo
- Atualizada em

Você é enterrado vivo para que se sinta vivo. Esta é a premissa de um polêmico e inusitado tratamento promovido pelo terapeuta Andrey Zhelvetro.

Os pacientes de Zhelvetro são postos em caixões e enterrados como se estivesse mortos a fim de tratar problemas psicológicos. A abordagem terapêutica se mantinha em segredo até que um camponês achou 12 caixões abandonados em uma floresta nos arredores de Kiev (Ucrânia). Havia também covas recentemente abertas. O agricultor procurou a polícia, segundo o "Mirror".

Foto: Divulgação/Andrey Zhelve

Agentes chegaram a Zhelvetro, que admitiu enterrar vivos como parte do exercício da profissão. O caso viralizou na VK, a rede social mais popular da Rússia.

Como não cometeu qualquer crime, o terapeuta foi liberado.

Os pacientes de Zhelvetro ficam enterrados por cerca de duas horas. Depois disso, eles são retirados dos "divãs" nas covas para finalizar a sessão.

"Criei esse tratamento uns anos atrás. Fui o primeiro a me submeter a ele", afirmou o ucraniano.

Um dos 12 pacientes que foram "sepultados" na floresta deu um depoimento sobre o insólito método:

"Quando saí do caixão, eu senti que havia me tornado outra pessoa. Foi estranho."