Com pedido para devolver após show, pulseira do Coldplay já aparece à venda na web


Foto: Tim Toda/ Instagram/ @coldplay

Grande sensação do show do Coldplay neste sábado, 10, a pulseira de led distribuída pela banda virou objeto de consumo dentro e fora da Cidade do Rock. Na web, muita gente que assistiu o show de casa se perguntou se o recurso tecnológico, usado para iluminar e colorir a apresentação, deveria ser devolvido após a apresentação. A pulseira vem como uma recomendação para que seja devolvida.

No Rock in Rio, estava sendo recolhida na saída do show. O que não significa que parte do público não tenha levado para casa como recordação.

Tanto é verdade que tem colecionador vendendo pulseiras originais da banda na web. Em um site de comércio eletrônico é possível encontrar uma pulseira usada no show da banda no Allianz Parque, pela bagatela de R$ 300.

Entenda como a pulseira funciona

Elas viraram uma marca do Coldplay. As pulseiras de LED distribuídas pela banda mudam de cor em sincronia com as músicas que são tocadas no palco. O recurso se tornou, nos últimos anos, muito popular no mundo de eventos corporativos, sobretudo em palestras motivacionais.

O dispositivo funciona por meio de uma tecnologia chamada Xylobands. O sistema consiste num software instalado num computador e ligado a uma caixa de transmissão de ondas, que acionam a sequência de cores ordenada pelo programa, de acordo com o ritmo da música. As pulseiras são controladas pela produção do grupo à distância por radiofrequência. O resultado impressiona visualmente.

Pulseiras foram criadas por fã

“Minha explicação favorita, para essa tecnologia, é a seguinte: consiste numa tapeçaria de luz e é, de longe, a coisa mais espetacular que eu já vi na música ao vivo”, definiu o britânico Jason Regler, inventor da tecnologia de inteligência artificial, numa entrevista recente.

Fã de Coldplay, Regler teve um estalo — e pensou, pela primeira vez, em criar a tal tecnologia — ao assistir a um show do grupo, em Glastonbury, na Inglaterra. “A música ‘Fix you’ tem um lugar especial para mim, pois sempre digo que foi onde tudo começou”, revelou ele, na mesma entrevista.

“É incrível ver as pessoas recebendo a pulseira porque você recebe reações diferentes. Alguns sabem quem somos e conhecem nosso produto e ficam muito empolgados assim que recebem uma pulseira”, relata ele. “Outros não sabem o que fazemos e aí adoram fazer perguntas sobre como as pulseiras funcionam. A primeira reação quando as pulseiras acendem é sempre especial: é uma mistura de surpresa e emancipação”, diz o criador da tecnologia.

Leia mais sobre Música no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: