Concertos, obras de arte e arquitetura: projeto oferece experiências exclusivas gratuitas em igrejas históricas de Salvador


Fotos: Divulgação/Fernando Barbosa/Bahia Sagrada

Entre os dias 8 e 17 de julho, o projeto Bahia Sagrada apresenta um circuito de visitação histórico-cultural diferenciado em cincos das principais igrejas de Salvador.

Propondo entretenimento através da música, com dez atrações conhecidas nacionalmente, o projeto também realiza uma série de ações como reformas dos templos, a elaboração de um livro e mais.

Toda a programação conta com a possibilidade da retirada online e antecipada dos ingressos, que são gratuitos, no Sympla. “Queremos que o soteropolitano, mas também o turista de outras cidades e países, consiga se programar e não fique com receio de ter que ir muito antes para a fila para garantir sua entrada”, afirmou Padre Manoel Oliveira, consultor do projeto.

As igrejas históricas, que dialogam com obras de arte, arquitetura e acústica, recebem repertórios que vão do jazz até a percussão afro-brasileira. Dentre os palcos do projeto Bahia Sagrada, estão os templos: Igreja Nosso Senhor do Bonfim, Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, Igreja São Pedro dos Clérigos, Igreja do São Francisco e Igreja Nossa Senhora da Conceição.

Foto: Fernando Barbosa / Projeto Bahia Sagrada

As apresentações ficam por conta do Quinteto da Bahia, Ganhadeiras de Itapuã, Grupo Ofá e Rum Alagbê, Núcleo de Ópera da Bahia, Ivan Sacerdote e Felipe Guedes, Gabriel Leite e Edu Gutterrez, André Mehmari e Rafael Cesário, Chico Brown, Coro Juvenil do NEOJIBA e Coro Ecumênico da Bahia.

“Todos os artistas convidados foram orientados a dar um acento regional à apresentação. Também fizemos pedidos especiais, como a releitura do Hino ao Senhor do Bonfim, que completa 100 anos em 2023. Além do significado religioso que o hino tem para os baianos, ele é bastante representativo do diálogo que a religião estabelece com a cultura. O hino foi gravado no álbum de estreia da Tropicália, em 1968”, explicou Rafael Alberto Alves, diretor artístico do projeto.

Para além dos concertos e shows, as ações previstas para o projeto – financiado pela Chesf via Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal e com apoio da Arquidiocese de Salvador – contam com restaurações dos templos, a elaboração de um livro e um guia enfocando as igrejas como edifícios históricos, a iluminação das talhas de ouro e dos azulejos portugueses da Igreja do Convento de São Francisco, e a criação de museus que apresentam a história desses lugares e suas relações com a própria história de Salvador e de outros municípios baianos.

Foto: Divulgação

CONFIRA PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

Sexta-feira, 8 de julho

19h – Quinteto da Bahia na Igreja Nosso Senhor do Bonfim

Sábado, 9 de julho

16h – As Ganhadeiras de Itapuã na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos
18h – Grupo Ofá convida Rum Alagbê na Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Domingo, 10 de julho

16h – Núcleo de Ópera da Bahia na Igreja São Pedro dos Clérigos
17h30 – Ivan Sacerdote e Felipe Guedes na Igreja São Francisco

Sexta-feira, 15 de julho

19h – Gabriele Leite e Edu Gutterrez na Igreja Nosso Senhor do Bonfim

Sábado, 16 de julho

17h30 – André Mehmari e Rafael Cesário na Igreja São Francisco
19h30 – Chico Brown na Igreja São Francisco

Domingo, 17 de julho

16h – Coro Juvenil do NEOJIBA na Igreja Nossa Senhora da Conceição
18h30 – Coro Ecumênico da Bahia na Igreja Nossa Senhora da Conceição

Garanta a sua entrada gratuitamente no Sympla!

Leia mais sobre Salvador no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias

Veja também: