III Festival Internacional da Sanfona começa nesta terça (14)


Acordeon, sanfona, gaita, concertina, bandoneón, harmonia, fole, botoneira… Não importa qual o nome usar. Este instrumento de fole, teclado e botões, tocado junto ao peito, que surgiu de forma rudimentar na China, há mais de 5.000 anos, evoluiu, cruzou todos os continentes, e virou tradição na música de dezenas de países. Na Bahia, ele é o grande protagonista da terceira edição do Festival Internacional da Sanfona, que acontece de 14 a 18 de julho, em Juazeiro e Petrolina.

O jovem português João Frade é uma das atrações internacionais do evento

Sob a curadoria do cantor, sanfoneiro e compositor Targino Gondim e direção geral de Celso de Carvalho, o evento acontece em cinco dias com oficinas, workshops, concurso, exposição, concertos musicais e shows abertos na Orla Nova de Juazeiro e na Concha Acústica de Petrolina.Grandes instrumentistas oriundos das cinco regiões do país e também do exterior já estão confirmados na programação que homenageia dois grandes mestres da sanfona brasileira: o mato-grossense Dino Rocha e o pernambucano Mestre Camarão, que faleceu recentemente.

Entre atrações internacionais desta edição estão João Frade original de Portugal, que traz como convidado o guitarrista (violonista) brasileiro Munir Hossn; Natanael Souza também de Portugal e Alexander Hrvstevich da Ucrânia.Das cinco regiões do Brasil estão Toninho Ferragutti e Bebe Kramer de São Paulo, Oswaldinho do Acordeon representando o Rio de Janeiro, Chico Chagas original do Acre, Dino Rocha do Mato Grosso, o Quinteto Persch do Rio Grande do Sul, Targino Gondim e Beto Hortis de Pernambuco, o Quinteto Sanfônico da Bahia, Rennan Mendes, Daniel Itabaiana, Silas Souza, Wanderley do Nordeste, Flávio Baião e Raimundinho do Acordeon representando a Bahia e Elba Ramalho, original da Paraíba.O III Festival Internacional da Sanfona também apresentará uma exposição de sanfonas da marca Lettice, produzida em Campina Grande, na Paraíba, e considerada uma das melhores do país. Será promovido um concurso e o vencedor, após três dias de apresentações em disputa, ganhará uma sanfona Lettice no valor de R$18 mil reais.O público ainda poderá se aprofundar no universo do instrumento através das oficinas práticas de sanfona, e de dois workshops: um sobre a sanfona na música mundial com João Frade (Portugal) e Munir Hossn, e música de câmara com o Quinteto Persch (RS).